Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Thursday, May 03, 2007

Fragmentos dela, dele e às vezes dos outros (9)



Hoje o meu post compõe-se de duas partes: a primeira com um prémio e a segunda com a continuação dos fragmentos.
O Daniel do blog Humores (http://aladiah.blogspot.com/) agraciou-me com este prémio criado por ele por eu "escrever como escrevo, por eu pensar como penso, por eu ser quem sou".
Obrigado Daniel pela consideração, pela lembrança e pelo trilho de escrita partilhado nesta coisa dos blogs.
__________________________________________________________


- Nah, não é destino, não é determinismo ... – disse ele.

- Nah! – disse ela. E contudo, com que certeza ela dizia que não se, desde sempre, entendia acaso e destino como duas vertentes da mesma moeda. Mas gostava de ouvi-lo e, por isso, não se opunha ao seu pensamento.

- Mas, está tudo bem, o que foi como foi. – continuou ele.

- Sim – disse ela, desejando muito mais do aquilo que foi.

- Poderia ter sido muito mais, mas não digo que deveria, porque não lamento o que não foi, mas foi o que foi. – gentilmente, ele encostou o copo de pé alto aos lábios e bebeu um pouco de vinho.

Ela dizia que sim com um vai vem de cabeça. Oh! Como ela lamentava o que não tinha sido.

- O tempo está por aí, e a qualquer momento, dá-se um pontapé numa pedra e logo se vê. – ele olhava-a nos olhos.

Ela pegou-lhe no copo e bebeu um gole daquele vinho tinto do Douro, atractivo e elegante – ele só bebia Esteva - devolvendo-o em seguida. Ficou a saborear o líquido na boca por uns instantes e só depois o engoliu.

Tinham abolido da sua relação o tempo que existe, o tempo que faz os dias e os meses, transformando-o em momentos que acontecem sem quando. Ela esperava.
da Leonor

28 Comments:

Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Leonor
Dizes bem... o destino e o acaso como faces de cada momento, que o tempo esquece ou torna inesquecível. Nunca sabemos como seriam as alternativas, porque vivemos, normalmente, um só alinhamento, ou não?
Um beijo
Daniel

9:23 AM  
Anonymous JMC said...

Em primeiro, parabens por mais este prémio de reconhecimento desta sua actividade extra.
Parece então que foi o que foi e não aquilo que poderia (Devia?) ter sido, mas que não foi, ou foi?.
Acho que são momentos intemporáis, que fazem toda a diferença.

Bom fim de semana.

JMC

9:42 AM  
Anonymous JMC said...

Quero dizer no último paragrafo.
Acho que são os momentos intempórais que fazem toda a diferença.

JMC

9:45 AM  
Anonymous pedro alex said...

Quando era miúdo, nos filmes de aventuras não me conseguia conter e por vezes levantava-me da cadeira irritado, ou bradava avisos para o artista alertando-o para qualquer perigo que estivesse para acontecer. Foram momentos que agora revivo nestes teus “Fragmentos”.
Thanks Leonor.

2:57 PM  
Blogger Paula Raposo said...

Gostei deste momento/fragmento. Beijos.

4:35 PM  
Blogger Maria Clarinda said...

Adorei este momento/fragmentado!
Jinhos gds

7:25 PM  
Blogger António said...

Querida Leonor!

Em primeiro lugar parabéns por mais um prémio.
Qualquer dia não tens lugar para eles nas prateleiras de casa...eh eh

Depois, quero dizer-te que gostei muito deste teu pequeno diálogo com matriz um tanto filosófica e bem dirigido no pensamento das personagens.
Revisitei-me nele.

Obrigado por teres ido ao "Concurso público".

Beijinhos

11:29 PM  
Anonymous Ana Joana said...

Parabéns pelo teu aniversário. Que contes muitos e bons anos bem recheados de tudo o que é bom e que desejas.

... e por falar em desejos...... este teu magnifico texto é um manifesto de desejo quase erótico. O desejo para o qual o tempo só é empecilho já que é pelo momento que se espera. Destino ou determinismo????? aqui? nem pensar! Prepara-se o "acaso" para que pareça determinismo rssss quando o desejo já é o "senhor e rei" de toda a acção. Ela esperava e.....desejo que também ela seja bafejada pela sorte!

Beijinhos e mais uma vez FELIZ ANIVERSÁRIO!

12:00 AM  
Blogger Paulo Sempre said...

A musica e cada palavra "marcam" o desassossego. Assim, terei que voltar a este blog..

12:41 AM  
Blogger leonoreta said...

PARA JMC

devia ter dido?
haaaaaaaaa
poderia ter sido.
em acaso ou destino as forças nao se controlam. desse modo, poderão seguir um rumo e poderão nao seguir.
penso eu, rsss
obrigado JMC por mais visita

abraço da leonoreta

8:49 AM  
Blogger leonoreta said...

PARA ANA JOANA

obrigado ana pelos parabens. obrigado pela lembrança. e gosto sempre de saber que gostas do que escrevo assim como gosoto de saber das tuas interpretaçoes.

beijinhos da leonoreta

8:51 AM  
Anonymous Anonymous said...

Os copos de pé alto, têm uma virtude assinalável, ao permitirem rodar o vinho dentro de si, perfumam a conversa, pela libertação dos seus aromas. Depois, o tempo de os procurar, levando o nariz, para a proximidade do vidro, é sempre um tempo de silêncio, por isso também, um tempo de pausa que alivia, ou intensifica o dramatismo do pensamento. São belos esses copos de pé alto, uns 50, (quando não mais), cl de capacidade. No douro os vinhos são ricos de taninos, e as castas, têm nomes que soam a viagens e mistério. Tinta Amarela, Rufete, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Francesa, Touriga Nacional... Com estas se faz um Quinta de D. Maria, que se ficar uns 15 anos em garrafa, não perde nada, só ganha...
Acho que, nesse balancear do tempo, (que sublimemente conseguiu fazer desaparecer do sentir compartilhado) dar-lhe-á um certo jeito, ter uma coisa assim por perto. Primeiro porque é digno de quem sente com tudo, depois porque nunca se sabe, quando vai por os seus heróis, a dar pontapés em pedras, a torto e a direito...
Parabéns pelo prémio.
PS: Desculpe Leonor, não tenho nada contra o vinho de que fala, alias adoro flores do monte, e o cheiro a esteva em trás os montes nesta altura do ano, é algo, que só nas memórias das travessias da serra do Caldeirão nas tardes de Julho de há 40 anos, deverá ter paralelo.

3:57 PM  
Blogger leonoreta said...

PARA ANONIMO

um comentario traduzido numa excelente lição de vinhos. aprendi imenso. eu gosto de aprender. obrigado.
tambem gostei do pormenor dos copos de pe alto.
eu nao conheço o cheiro das estevas. nao sei se o alentejo ou o algarve as tem. dai so conhecer o cheiro das amendoeiras e das figueiras.
pontapes nas pedras... nunca se sabe.

leonoreta

6:28 PM  
Blogger augustoM said...

O que foi, não foi.
Foi!
Sem ter sido.
Se o foi, fosse o que não foi.
Foi!
Aconteceu!
Um beijo. Augusto

9:19 PM  
Blogger mixtu said...

parabéns pelo prémio...
e excelente fragmento

11:55 PM  
Blogger SilenceBox said...

Antes que tudo, parabéns por este prémio de reconhecimento!
Mais um fragmento, com o sabor filosófico, que tão bem sabes escrever! É um tema algo complicado... Sobre o destino e o acaso, não acho que estejam na mesma moeda. O que eu acho é que o destino já está traçado em cada um de nós... O que parece ser acaso, não é. Ou seja, não há acasos. Os acasos são como as ilusões opticas, somos nós que criamos estes acasos, queremos ver e acreditar que são acasos mas não são. Não sei se me expliquei bem... É apenas uma teoria minha, o meu ponto de vista.
Beijinhos e bom fim de semana!
SilenceBox

12:19 AM  
Anonymous arte por um canudo 2 said...

Parabéns pelo prémio pq é sinal de reconhecimento.Parabéns também pelo texto.Parece que devemos aproveitar todos os momentos para que nada se perca nem mesmo o próprio tempo.É uma lição de vida.Um abraço.

1:05 AM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha Querida Leonor

FELIZ ANIVERSÁRIO:))

Muitos PARABÉNS_________tudo de bom minha amiga

Um abraço imenso repleto de amizade____e_____uma flor

....._.;_'.-._
...{`--..-.'_,}
.{;..\,__...-'/}
.{..'-`.._;..-';
....`'--.._..-'
........,--\\..,-"-.
.........`-..\(..'-...\
...............\.;---,/
..........,-""-;\
......../....-'.)..\
........\,---'`...\\
.....................\|

__________e também

_______FEILZ DIA DA MÃE:))

2:00 AM  
Blogger bom dia isabel said...

Minha Querida Amiga

Venho deixar-te beijinhos neste domingo, dia da mãe. Distribui com ela. Merece muitos, com toda a certeza. Muita saúde e muitos anos de vida.

Um bom domingo

Voltarei para ler o post. Desculpa.

8:28 AM  
Blogger Menina_marota said...

Duplamente parabéns!

Momentos... um prazer ler estes teus momentos!!

A correr (confesso que depois desta ausência enorme, tenho muitas "casas" para visitar...)deixo um abraço carinhoso e mais uma vez parabéns mais que merecidos, por toda a tua escrita.

Bj ;)

11:35 AM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Errata: deve-se ler FELIZ e FEILZ.

12:23 PM  
Blogger A.S. said...

Querida Leonor
Começo por desejar-te um Feliz Dia da Mãe e, pelo que vejo, também um Feliz aniversário! e ainda... este prémio que com todo o merecimento te foi atrubuido! Estás portanto triplamente de parabéns!!! Se é destino ou determinismo, é coisa que jamais irás saber, mas em todo o cado te digo, que este prémio foi como um bolbo que floriu após o seu tempo de gestação; Porque houve terra, alguma água leve e um horizonte a libertar-lhe os passos!...


Um terno beijo!

4:38 PM  
Blogger bom dia isabel said...

Bem, quanto ao prémio, mais do que merecido. Merecidíssimo! O teu amigo sabe o que faz.Pelo aniversário, os meus parabéns! Muitos anos de vida!
Quanto ao post. Acaso e destino. O que foi, como teria sido se, por que não foi... O que interessa mesmo é o que está a acontecer, o momento, aproveitá-lo ao máximo e o resto são conjecturas, especulações. Gostei muito. Mais uma vez , um fragmento interessante da vida de cada um de nós.
beijinhos

6:41 PM  
Blogger lena said...

Leonor minha querida amiga

vim abraçar-te docemente

dar-te os parabéns pelo prémio e que bem merecido foi

parabéns pelo teu aniversário, mesmo aprazada

e parabéns por seres mãe, doce mãe e "mãe" de muitos dos teus pequenos

abraço-te ternamente, já num final de noite, já sem forças...

amanhã venho para te ler, hoje foi só para te abraçar minha amiga

lena

10:28 PM  
Blogger Mocho Falante said...

Sab-me bem ficar aqui a saborear cada frase tua, não sabe a Esteva mas sabe a uma tranquilidade enorme

beijocas

12:11 PM  
Blogger bom dia isabel said...

Por favor, passa no meu blog.
Beijinhos

3:27 PM  
Blogger lena said...

Leonor, minha doce amiga

vim ler-te, vim sentir-te

vim para te dizer que adorei hoje este post meio filosófico, adoro quando escreves assim, é um prazer muito grande

o destino onde mora?

o destino é o momento, só isso, o momento que vivemos

não consigo escrever mais Leonor, as forças não deixam

mas ainda tenho força para te abraçar, muito, para te abraçar com ternura minha amiguinha

beijinhos

lena

5:16 PM  
Anonymous Anonymous said...

Olá, Leonor! Há quanto tempo!!! Ultimamente, nem tempo tenho para uns mails... :(

Não sei se já te tinha dito mas estou a fazer mestrado e a mudar de casa... enfim, tudo coisas que nos dão a volta à cabeça e nos roubam tenmpo livre :(

Venho dar-te nota de que o meu pai vai lançar um livro que estará à venda na BERTRAND a partir do dia 6 de Junho. É um romance passado em África, durante a Guerra Colonial. Chama-se MATARAM O CHEFE DE POSTO.

Se quiseres vir à apresentação do mesmo é no dia 25 de Maio, pelas 21h30 no Fórum Romeu Correia, em Almada.

Bjs

Bárbara (Cokas)
http://cokas.blogspot.com

6:41 PM  

Post a Comment

<< Home