Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Thursday, April 12, 2007

Mais mais, mais ou menos, Menos menos

De entre os vários modelos propostos por vários autores para se fazer uma análise conceptual, gosto particularmente de um, o de Merton.

Tomemos no mínimo quatro células e tomemos, por exemplo, o tema da crença em Deus. (modestamente fiz este esquema no paint)


Então temos o mais mais: o individuo que acredita e que pratica. Está “conforme”.
Depois há o mais menos: o individuo que acredita mas não pratica. É o “efervescente” de certo modo já apresenta algum comportamento desviante.


A seguir há o menos mais: o individuo que não acredita mas pratica porque senão arrisca-se a ser posto de parte pela comunidade em que se insere. É o “ritualista”.

Por último temos o individuo menos menos que significa é um individuo que não acredita, não pratica, que enfim… é um individuo que está a leste. Está a leste das crenças que por ai se vendem porque a ver os eléctricos ele também não anda.

Eu?
Sou às vezes o individuo mais mais que está conforme; a maior parte das vezes o individuo mais menos que efervesce como se, no seio de um líquido fosse um gás em bolhas; mas quase sempre… o individuo menos menos que está a leste.


da Leonor

23 Comments:

Anonymous Paula Raposo said...

Eu também fico no estar a leste. Beijos.

6:19 PM  
Anonymous Individuo said...

Hum... parece-me a mim que sou o individuo Mais Menos (Relativamente a Deus e à Religião Católica). Sou suspceptível de mudar de patamar conforme se me apresente um outro qualquer tema.

É curioso ver que o aspecto prático dessa escala se coaduna perfeitamente a maioria das pessoas. Porém, há sempre os "outsiders" que acham que não se inserem em nenhum campo!)

Gostei de ler, como sempre! 8)

7:27 PM  
Blogger António said...

Querida Leonor!
Muito bem!
Qualquer dia estás catedrática.
ah ah ah
Pois eu, e exactamente nestas questões religiosas, sou Menos-Menos: nem acredito nem pratico, excepto em casamentos, baptizados e funerais em que me converto em Menos-Mais (ritualista).
Um post tematicamente original e diferente do que costumas fazer.

Beijinhos

7:44 PM  
Blogger António said...

Querida Leonor!
Obrigado pela tua visita e comentário ao meu conto "A mulher invisível".

Beijinhos

11:21 PM  
Blogger Professorinha said...

Acho que li duas vezes... e estou mesmo a leste heheheheeh

Beijinhos :)

11:38 PM  
Anonymous Anonymous said...

Olá, Leonor!
A crença implica algo mais do que falar sobre ela.
Procure encontrar momentos de retiro, questione-se sobre o verdadeiro sentido da vida, e talvez descubra o que talvez ainda não tenha encontrado.
Bjs

12:46 AM  
Anonymous Anonymous said...

A leste conheço o vento. Quente, é suão. Faz-se Siroco, na alma de qualquer algarvio. Vem com areia quente e fina. Ou com o nevoeiro dela, mesmo quando chega feito aragem. A leste. A espanha fica a leste. Nem bom vento, nem bom casamento. Sempre assim foi. Por isso, a leste nada de novo.
Ah cara(issima) Leonor. Não é mais nem memos.
Não é uma questão de rosa dos ventos. É medo meu caro ...watson.
Os seus pontos cardeais, são simplesmente...cagaço.
E daí? Que cuspa para o ar, o primeiro iluminadosem arrependimento...

Ps: O noticiàrio, anunciou, chuva de cuspo, tocada de vento leste.... em Nova Yorque...

3:42 AM  
Anonymous Ana Joana said...

Bom dia Leonoretta

Também eu vou passando por diversas fases, excepto pela mais mais. Aliás sou essencialmente adepta do beneficio da duvida, já que não acredito em verdades absolutas. E encontro na diversidade das verdades o interesse , a riqueza e o fascinio do acto de viver.

Beijinhos
Ana Joana

9:05 AM  
Blogger bom dia isabel said...

Bom Dia Leonor!

Mais um post muito interessante. Li duas ou três vezes. Isto, com o tempo, a memória vai falhando! Eu enquadro-me dentro dos mais/mais e, a maior parte das vezes, nos mais/ menos.

"Ainda sou do tempo em que" havia catequese na escola, dada por uma catequista que lá se deslocava semanalmente. Depois, tinha catequese aos sábados à tarde e missa e catequese aos domingos de manhã.
Outros tempos, Leonor! Hoje, não sou praticante mas continuo crente. Um pouco à minha maneira! Adaptações!
Beijinhos

10:54 AM  
Blogger Leonoretta said...

PARA ANONIMO

anónimo, a sua visita é sempre um prazer de leitura. A sua certeza de que eu tenho medo é que me fascina.

"roubo" uma frase de Hobbes:

" a única paixão da minha vida foi o medo".

leonoreta

11:20 AM  
Blogger Leonoretta said...

PARA ANA JOANA

ola joana

e de facto assim é. daquilo que disseste concordo com tudo, assinando em baixo de olhos fechados.

beijinhos da leonoreta

11:21 AM  
Blogger A.S. said...

É uma matéria que terá que ser abordada em parâmetros muito mais vastos. Acho que esta análise está demasiado restrita. Quer queiramos quer não, não falamos apenas de convicções(Fé)... qualquer que seja o lado por onde seja feita a análise, estará sempre subjacente uma questão filosófica que é muito mais importante!
Sou insuspeito porque sou por formação um existencialista!

Em todo o caso há sempre o mérito de teres abordado um assunto sempre controverso.

Deixo-te o meu abraço e os votos de um bom fim de semana

2:34 PM  
Anonymous Anonymous said...

Esta coisa do leste ser o oriente sempre me baralhou... que inflexibilidade débil a minha :-)

Até sempre
Aldina

5:11 PM  
Blogger Daniel Aladiah said...

Deixa-me brincar, Leonor... a Leste nada de novo, então vira-te para oeste e verás o sol-pôr.
Um beijo
Daniel

6:19 PM  
Blogger augustoM said...

Também estou a leste, a Leste do Paraíso!
Um beijo. Augusto

10:22 AM  
Blogger José Gomes said...

Fui dar uma vista de olhos neste ex-improviso... depois fiquei a ler tudo aquilo que tens escrito.
E soube tão bem!!!
Bos semana,
JG

11:13 AM  
Anonymous pedro alex said...

Gostava de adapar esse modelo a uma análise Swot. Não é tão redutor. Tem a vantagem de identificar pontos fortes e pontos fracos, determinar ameaças e objectivá-las em oportunidades, ou mesmo supri-las.
Enfim Leornor... conversa:)
Olha, vou preguiçar e magicar sobre o que logo gostaria que me acontecesse.
Abraço, pedro

4:13 PM  
Blogger LEONOR C. said...

Gostei dessas definições. O post está original, diferente de tudo o que costumas fazer. Que imaginação!
Bom final de domingo!

6:50 PM  
Blogger Mocho Falante said...

é por isso que o teu menos menos nos trás tantos textos brilhantes a diferença é que o teu menos menos não te faz estar assim tão alheia

beijocas

12:49 AM  
Blogger sonhadora said...

Sonho nas madrugadas de lua cheia com carícias e beijos de amanhecer.Beijinhos embrulhados em abraços.

5:42 PM  
Blogger lena said...

minha menina linda e doce Leonor

adorei ler as definições, está um post muito bom

e sou como tu, tal e qual sem tirar uma virgula

vim também em missão

gostava muito que aceitasses o Prémio que te foi atribuído... É só ires buscar o selo, ao meu blog colocá-lo aqui e escolheres cinco blogues da tua preferência e atribuíres o prémio também...
deverá ser colocado também na parte lateral do teu Blog


um abraço meu, com amizade e muita ternura

beijinhos para ti muitos

lena

11:03 PM  
Anonymous arte por um canudo 2 said...

Em muitas situaçõe é melhor estar no menos menos para não ter problemas.Olha o caso dos alunos mal educados, muitas vezes é melhor ignorá-los, ou seja estar a leste do que se meter em sarilhos.Bjs

12:12 AM  
Blogger sOl said...

SOu menOs menOs sem dúvida...
CreiO em mim...E às vezes até issO é cOmplicadO...
Amei O cantinhO...
VOltarei sempre...


sOl*

6:02 PM  

Post a Comment

<< Home