Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Saturday, October 21, 2006

A digestão dos conflitos

Depois do intervalo do almoço, há sempre um conflito para resolver na sala de aula. Alguém bateu sempre em alguém.
Fazemos quinze minutos de tribunal com a particularidade de eu ser juiz, advogado de defesa e de acusação e júri.
Ouvimos a versão dos implicados um de cada vez. Os ânimos exaltam-se mas o meu feitio de Luís XIV imediatamente devolve o silêncio à sala. A queixa continua.

O Gonçalo, a Raquel e a Catarina, relativamente encorpados para os seus oito anos, levaram uma surra do Ricardo, um franguinho com metade do tamanho deles.
O quê? Perguntei eu, desconfiada dos poderes kriptoníticos do Ricardo.

Coloquei os possíveis culpados em fila junto ao quadro para comparar tamanhos e forças e brincar um pouco com os agredidos e o agressor. O normal é eu dizer a quem alisa o pêlo dos colegas: “para a outra vez mete-te com gente do teu tamanho”. Porém, desta vez, a ameaça ou o conselho não se aplicava. O ricardo era visivelmente mais pequeno.

Ao toque de saída foram saindo um a um, como é costume, pelo comportamento que tiveram nesse dia. O Ricardo ficou para o fim. Parecendo indiferente ao castigo disse: Já sei que sou o último.

Todos saíram.

- Agora diga-me! Quer andar à tareia comigo? – perguntei-lhe a olhá-lo bem nos olhos.
- Não.
- Porquê?
- Porque não.
- Você – quando estou aborrecida trato-os por você ou por senhor – sabe que não, sim, talvez e mais ou menos, para mim não é resposta. Por isso, resposta completa. “Eu não quero andar à tareia com a professora porque…
- .. fico a perder.
- Ah! Pois fica! Dou-lhe duas voltinhas no ar e a seguir estatelo-o no chão. (Isto porque ele não era do meu tamanho). Agora desapareça da minha vista até segunda feira. – ordenei
- Bom fim de semana professora.
da Leonor

30 Comments:

Blogger pintoribeiro said...

Pois. Oportuno. Bfsemana, bjinho.

10:44 AM  
Anonymous JMC said...

Á pois é, lá diz o velhissimo ditado que 'Os Homens não se medem aos palmos' e desta vez confimou-se, quanto ao franguinho além de destresa fisica, tambem já mostra que a tem mental.
Bom fim de semana.

JMC

11:15 AM  
Blogger silencebox said...

Mais um post cheio de humor. Uma Leonoretta juiza, advogada, com um feito de Luís XVI... adorei a descrição! ;-) Será que é verdade que o pequenino Ricardo deu uma "surra" aos outros que são maiores de tamanho do que ele?! Cheguei ao final do texto com umas boas gargalhadas!
Agora vou ter que esperar pelo proximo sabado para ler mais um post teu! :D
Beijinhos gdes! Bom fim de semana!

11:51 AM  
Anonymous Ana Joana said...

E assim se vai crescendo: desafiando aqueles (aquilo) que se acredita vencer. E esta "crença" é mesmo um factor individual - só assim o Ricardo, desafiando a logica fácil, surrou os outros três maiores rssss. Esta diferença de encarar a "lógica" determina naturalmente os vencedores e os que vão mais além. Quando avaliou uma perda segura, recuou! Vai longe esse Ricardo, seja qual fôr o sentido que escolher. Para bem dele e da humanidade, que saiba sempre fazer as melhores escolhas. Fixa-lhe o apelido para mais tarde recordar!

Quanto a ti rsssss para além da capacidade para professora, escritora, a que se junta agora a de juiz, advogada de defesa e simultaneamente de acusação e mais de juri, e pelos visto de porteira, outras mais podes desempenhar - todas aquelas a que te proposeres porque és um potentado de capacidades todas muitos arrumadinhas numa daquelas caixas mágicas, que quando lhes tiramos a tampa nos assustam/surpreendem com o que de lá salta!rssss

Beijinhos e optimo fim de semana para ti.

Ana Joana

1:13 PM  
Blogger Leonor C.(nokinhas) said...

Essa teve graça! Enquanto o Ricardo reconheceu que ficava a perder, tu arriscaste porque sabias que ficavas a ganhar! Por outro lado também não esperavas que ele fosse aceitar...
Gostava de ver!

Bom fim de semana!

Bjs

1:53 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA JMC

e perante o que disse JMC mais não há a dizer. concluiu com a melhor das verdades.

obrigado pela visita

abraço da leonoreta

2:14 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA ANA JOANA

ola Ana Joana.
a primeira parte do teu comentario aproveitei-a nao para inchar o meu ego mas para acrescentar o meu conhecimento sobre psicologia.

a segunda parte remeteu-me para uma entrevista que eu vi há uns anos (quando gosto das coisas lembro-me delas para toda a vida, quando nao gosto tambem, rsss)
com a agustina bessa luis em que a locutora a elogiava tanto como tu me fazes agora a mim e agradoçe-te roubando as palavras daquela escritora que me fascina mais como pessoa do que técnica das palavras: "tanto não, tanto não".

beijinhos da leonoreta e volta sempre

2:18 PM  
Blogger António said...

Querida Leonor!
Ora cá temos o teu post semanal!
Delicioso!
Eu muito gosto destas tuas histórias com os pintaínhos!!!
Bem escrita, bem humorada, esta prosa deixou-me bem disposto mas, uma dúvida me assaltou.
Como poderia um pintaínho ter surrado três franganotes?
Minha querida amiga!
Só vejo uma explicação:
o Ricardo é o mentor e lider cerebral de um gang do qual fazem parte operacionais mais corpulentos e que andam a aprender artes marciais.
Em resumo:
não o desafies muitas vezes porque um dia destes...
ah ah ah

Beijinhos

2:45 PM  
Blogger Arte por um Canudo 2 (No Sapo) said...

Forma eficaz e giríssima de resolver o problema.Quem sabe se ainda vais ser procurada pelo Ministério da Justiça para resolver aquela pilha de processos que eles têm.Se fossem como tu não havia prescrição de processos.Foi lindo este teu relato de situações que para ti devem ser uma rotina.Gostaria de saber Leonor o que é o culturalmente? Bjs e bom fim de semana

6:37 PM  
Blogger Luna said...

Nessa idade os miudos estão sempre dispostos a medir forças, mas tambem sabem quando parar
beijos

7:37 PM  
Blogger AS said...

Gosto do mar desesperado
a bramir a fender e a lutar
mas gosto mais do barco ousado
sobre essa rebeldia a navegar

Sei que é este o teu pensar
mas sem dar o teu braço a torcer
Deixa o barco do Ricardo navegar
Pois nunca te vais arrepender!...

sem que fiques vaga e indiferente
há um modo de calar e ser claro!
olhar na cara, frente a frente
num tempo em que ousar é raro!


Para ti... com um abraço Leonor!

7:40 PM  
Blogger viajante said...

Bom fim de semana professora.

3:02 PM  
Blogger Leticia Gabian said...

"Ao mestre com carinho", com Sidney Poitier. Lembra? Ali eu decidi que seria professora.
Beijo grande pra ti, Leonor.

3:40 PM  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Leonor
Não sei que diga :9 só mesmo olhando os miúdos.
Um beijo
Daniel

8:17 PM  
Blogger Mocho Falante said...

é pá o que eu me delicio com estas tuas histórias...

Beijocas

9:44 PM  
Blogger APC said...

Quêeee? E não tiveste medo dele? Devia ser mesmo ameaçador! ;-))))
Lololol

São bem giros, não são?... :-)
Um beijinho!

PS - Eu sei como pode um pequerrucho dar cabo dos grandes. É porque se "passa" e cega, e põe um ponto final com as forças que nem bem sabia que tinha. E é um momento importante na vida dele!:-)

10:39 PM  
Blogger João Mãos de Tesoura said...

Percebo a história, percebo a intenção... mas achas que tem um final feliz?
Não sei se o convenceste, melhor do que o argumento da força é o argumento da razão. Envergonhar uma criança à frente de outras pode ser um bom remédio. O importante é ver se ela se redimiu.
Boa semana sem stress! :D

8:12 AM  
Blogger Paula Raposo said...

Pedagogia. Beijos para ti.

11:46 AM  
Blogger augustoM said...

Os homens não se medem aos palmos, mas os espertos não deixam de os medir.
Quanto ao meu texto, a chave do negócio é o que representa uma linha recta, o infito, pois não tem princípio nem fim. O resto, semi rectas, ou segnmentos de recta não passam de partes dela, sem a nunca a conhecerem. O Tempo é a recta, uma coisa que sente mas não se compreende.
Um beijo. Augusto

1:55 PM  
Blogger pitanga said...

Isto sim, é uma piscologia aplicada! Quanto ao rapaz é o que chamamos "baixinho folgado".

Por que será que as crianças gostam tanto de bater? Fico danada quando a Julinha chega à casa com os bracinhos marcados. Tenho vontade de ir lá e ... z&xvh#rty%!!

beijinhos nervosos hehehe

2:37 PM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Querida Leonor

Só agora consegui estar aqui para beber o "tal café" como sempre problemas com a máquina infernal que é o meu pc.

Pois é minha querida calculo que nessas idades existe "o medir de forças" mas eles sabem muito bem até onde podem ir!

Alem do mais, tens uma "arma" muito poderosa que é o teu Bom Senso!

(o café já estava um pouco para o frio - mas ADOREI:))

Beijinhos com carinho

7:44 PM  
Blogger Luisa said...

Afinal fiquei sem saber qual é o poder do Ricardo. Que forças se ocultam naquela figura franzina? Tens de descobrir e contar-nos como só tu saber contar.

12:27 AM  
Blogger pitanga said...

Oh, poxa! Esta tarde fiquei aqui tentado comentar e nada. Agora vejo que pelo menos uma vez foi. Ufa! Quer ver eu ficar neurótica? "A página não pode ser exibida". Aaaaaaah!

beijinhos mais calmos ehehe

1:23 AM  
Blogger Barão da Tróia II said...

Nem mais. Boa semana.

2:48 PM  
Anonymous caracol said...

Andar à surra com colegas de turma isso é fácil... mas meter-me com a Sra. Professora que além de me tratar por você (quando está chateada) também tem feitio de Luís XVI.... épá........
Fica para amanhã? pode ser??

;)

10:34 PM  
Blogger Carla Augusto said...

Este blog é óptimo!

1:33 AM  
Blogger pintoribeiro said...

Bom dia, bjinho,

10:17 AM  
Blogger batista filho said...

saudade, amiga, saudade, mas ao tempo, alegre pelo reencontro com tua prosa!

deixo o meu abraço fraterno.

lembrança ao VP.

2:04 AM  
Blogger António said...

Querida Leonor!
Só um saltinho para agradecer a visita e o comentário.
Estou a escrever a parte XIX.
Amanhã haverá mais...

Beijinhos

10:18 PM  
Blogger O Micróbio II said...

Bom fim de semana...

12:40 PM  

Post a Comment

<< Home