Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Saturday, November 19, 2005

As Sombras da Caverna




Um dia a Colibri mandou-me esta imagem.

(Obrigado Colibri)



A “Alegoria da Caverna” foi um dos primeiros textos que eu li nas aulas de filosofia do antigo 7º ano do então chamado Curso Geral, que hoje corresponde ao 11º ano. Na altura já achei o texto fascinante mas confesso que, devido à minha pouca experiência de vida, logicamente, não o entendi como o entendo agora. De qualquer modo, ficou o gosto por querer saber mais e, sobretudo, querer sempre respostas para as minhas questões.

A Caverna de Platão constitui uma das mais encantadoras metáforas da cultura ocidental sobre a educação. Os prisioneiros da Caverna retratam a condição humana face ao conhecimento, isto é, segundo Platão o homem nasce escravo da sua ignorância e, se não tiver ninguém que o ajude, não toma consciência dela.

Nesse estado de escravatura, as pessoas têm uma forma limitada de olhar o mundo. Apesar disso, pensam que o compreendem. A maioria, sente-se tão confortável no seu estado de ignorância que se recusa a mudar.

À medida que os prisioneiros da Caverna são levados a ver o mundo fora dela vão percebendo a existência da “luz”. Libertados, ficam confusos com tanta “claridade”. Querendo regressar à sua condição anterior, já não podem porque se tornaram conscientes do mundo circundante.

Para Platão, educar é liberdade porque a educação liberta-nos da ignorância. Educar é a arte de motivar para aprender. É dar os meios, estar presente no percurso para que a pessoa possa encontrar o caminho. É um processo lento que expõe a pessoa à verdade.

Perante tudo o que foi dito, e aproveitando a deixa para concluir, podemos perguntar então, o que se entende por educação em Portugal, quando os sucessivos Ministérios que cuidam dela, apresentam tão fracas condições para que o ensino/aprendizagem se cumpra.

Ou, não estarão os nossos governos interessados em libertar prisioneiros da sua Caverna, em formar pessoas conscientes do seu mundo?

De facto, escravos da nossa ignorância, tornamo-nos súbditos de meia dúzia “iluminados”.
Nesse caso, está tudo bem e perdoem-me, as inteligentia, se um dia tive o azar de me encandear com a luz de Platão e agora querer respostas a que não tenho direito.


da Leonor

42 Comments:

Blogger Poesia Portuguesa said...

Que mais a acrescentar? Divino e esclarecedor este texto!

Gostei de o ler, ainda mais numa altura sensível como a que os Professores atravessam.

Um abraço carinhoso e bom fim de semana :)

(A Menina Marota pede desculpas pela ausência, mas tem andado atarefada em ajudar-me a actualizar os linkes...) Bj;)

5:55 PM  
Blogger isa xana said...

desculpa, leonoretta, só agora li o teu comentario. claro que podias utilizar a foto sem pedir porque não é minha e mesmo que fosse sabes que te deixaria utilizar :)
tou desculpada por responder tao tarde?

beijito

8:16 PM  
Blogger Poesia Portuguesa said...

ahahah
...assim não vale!! Estragas-me o sigilo!!

Já agora vai ler o Poema da Vera... acho que vale a pena!

Um abraço carinhoso.

(e já sabes, quando vieres a Campanhã, avisa!)

Jinhos ;)

8:49 PM  
Anonymous Maria do Céu Costa said...

Fez-me recordar um pouco o tempo de estudante, foi agradavel "avivar" aqui a materia da alegria da caverna. Beijinhos.

8:56 PM  
Blogger Henrique Santos said...

Gostei particularmente...
Bjinhos Ricky

9:49 PM  
Blogger Eva Shanti said...

Também hoje olho de forma diferente e mais madura para a alegoria da caverna. Mas, às vezes penso, que, em terra de cegos, quem tem um olho não é rei, é deficiente... LOL

Bjs

9:50 PM  
Blogger terragel said...

LEO, lindo esse texto que combinou exactamente com a imágem. Textos como esse é que fázem a alegria de nós blogueiros, porque com poucos cliques nós passamos a ler verdadeiras obras de arte de pessoas comuns como nós mesmos.
Bjs

9:50 PM  
Blogger SaltaPocinhas said...

também me lembro vagamente da alegoria da caverna e de não a ter percebido...também quem com 15 anos consegue entender aquilo, se os nossos políticos ainda hoje não a entendem? Como dizia Salazar "povo ignorante é povo feliz!!"
Estes não têm a lata de o dizer, mas vão fazendo com que a frase se mantenha actual...

9:52 PM  
Blogger fotoaprendiz (M.P.) said...

Olá, Leonor! venho cá dizer-te que é evidente que podes! LOL... Ninguém me vai perceber mas percebendo-me tu é o que interessa! Um BOM fim de semana! E gostei de ler mais este teu "post" tão bem engendrado! **

10:13 PM  
Anonymous Colibri said...

Nunca li....
Mas se a senhora professora gostou é porque deve ser de facto fascinante.

P.S- Obrigada eu, por existires!

10:19 PM  
Anonymous Anonymous said...

Não desanimes Bela Leonoretta. As coisas não são como achamos que seria melhor que fossem, mas ainda assim, vamos avançando. A Educação no nosso país está entregue não só aos governantes mas também aos professores, que por sua vez, para o serem tiveram que ter outros professores. Tu és um exemplo de uma boa professora mas sabes tão bem como eu que por muitas condições que haja, grande parte dos professores nem saberiam o que fazer com elas. O estado da nossa educação tem tudo a ver com o estado do nosso estado, do nosso país.Se cada um de nós, no nosso dia a dia não se reinventar, seja em que profissão fôr, dificil vai ser mudar.
Bom fim de semana Amiga, boa recuperação de energias para fazeres aquilo que sabes fazer tão bem, independentemente dos meios que tens - ensinar/educar.

Beijinhos
Ana Joana

11:39 PM  
Anonymous Anonymous said...

Leonor!
Este é uma tema do qual já tive a oportunidade de publicar um post.
Realmente, esta passagem mostra-nos de forma clara como temos uma percepção do mundo através da visão que nós próprio criamos.
Embora muitas vezes ela não corresponda minimamente à realidade.
Um grande beijinho,

12:08 AM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Querida Leonor

"No mundo do conhecimento, a idéia do bem aparece por último e é percebida apenas com esforço; mas, quando percebida, torna-se claro que ela é a causa universal de tudo que é bom e belo, o criador da luz e o senhor do sol neste mundo visível."
(Platão)

É realmente lamentável que haja pessoas (pessoas que até poderiam fazer alguma coisa) vejam apenas as suas próprias sombras (não passa do apenas) e as sombras dos outros projectada numa parede. Não vêem mais que isso.

"A mente do homem" está escravizada a imitações que "nós", desta maneira, confundimos com a realidade. "Somos" prisioneiros em uma caverna filosófica.


Beijinhos

Bfs

2:53 AM  
Blogger holeart said...

: )

8:10 AM  
Blogger UGAJU said...

Se o platão fosse português não tinha escrito sobre uma caverna... bastavam-lhe as planícies alentejanas!

10:48 AM  
Blogger António said...

Minha querida Leonor!

Antes do mais os meus parabéns pela tua nova fotografia!
Linda, como sempre!

Acho este teu post magnífico.
Não me lembro de ter estudado ou sequer lido a "Alegoria da Caverna", pelo que ainda por cima lê-lo foi uma lição.
Desta vez trataste o assunto de forma um pouco menos divertida mas com uma componente política que não te é habitual.
Diversidade nos estilos. É de saudar, como tu mesma escreveste no teu comentário ao meu post de hoje.

Obrigado pela tua visita à minha caverna.
Em relação à questão das mulhers saírem à noite sem os maridos, a mais velha que lá estava tinha 40 anos.
As mais velhas e os mais velhos, provavelmente ainda não entraram na nova onda...eh eh

Beijinhos

4:06 PM  
Blogger AS said...

Sabes Leonor, ninguém é verdadeiramente livre. E nessa caverna há um pormenor que talvez por lapso não referiste. para além de quererem experimentar a liberdade e a luz do sol, os homens-escravos julgavam também libertar-se da sua própria sombra que sempre os perseguia e aterrorizava. Pois eu acho que muitos dos homens de hoje, sejam quem sejam, sentem ainda hoje esse incontornável terror... medo da sua própria sombra!


Um abraço grande

7:03 PM  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Leonor
Tens direito às respostas e direito à crítica, que cada vez mais se afigura pertinente. Parece que não encontramos ainda as soluções que precisamos para o ensino em geral. Crise dos tempos, em todo o mundo, cada vezmais exigente.
Contudo, recordo que todos nós que criticamos o sistema, fomos também educados nos modelos que o precederam e que sabemos tinham também muitos problemas, mas nós cá estamos com alguma iluminação, libertos da caverna mais profunda e com a consciencia de que as cavernas são como as bonecas russas, quando duma saímos, logo verificamos estar numa maior ainda...
Um beijo
Daniel

12:30 AM  
Blogger perola&granito said...

uma boaa semana :)

1:22 AM  
Anonymous mar said...

Há mt tempo q perdi a minha capacidade de acreditar nos nosso governates e políticos, e qq dia até acredito q tudo está mal no nosso País, pq nós (profesores) existimos.......
Beijo e boa semana

11:28 AM  
Anonymous Anonymous said...

Em casa onde não há pão........
Nos tempos que correm está a ser muito dificil conciliar a necessidade de lucro com a dignificação da pessoa. Sem duvida que a prioridade das prioridades, na minha modesta opinião, teria que ser a do respeito pelo ser humano, ou seja, pela educação, saude, justiça, dignidade i.e.todos os meios que permitam o exercicio de todos os seus direitos de cidadania, direitos humanos . Só que para que isso seja possivel é preciso que se crie riqueza. E.... neste momento, embora esta alegoria seja intemporal e de uma riqueza interpretativa imensa, não me parece que seja a intensão dos governantes privar da luz os governados. Parece-me mais uma questão de não saber fazer melhor ou diferente com os meios (tmb eles estão condicionados pelos meios) de que dispõe.(Até parece que estou armada em defensora da classe dos governantes eheheh).
Se cada um de nós fizer, como tu fazes, ou seja, fizer o melhor que sabe fazer, vamos certamente estar a influenciar a mudança para uma situação melhor.

Beijinhos (engripadissimos)
Ana Joana

1:02 PM  
Blogger José Gomes said...

Sabes, Leonor, só hoje ganhei coragem para comentar...
Mas não vou comentar... apenas desejar que tenhas uma boa semana neste Norte que promete vir a ser lindo, no seu frio, na sua chuva, no seu vento, nos dias tristes como um céu sem arco-íris.

2:39 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA ANA JOANA

é sempre um prazer ver-te por aqui a mostrares a tua opiniao seja ela qual for, a favor ou contra.

para mim o que interessa, e tu deves saber isso, é a partilha.

não percas o próximo episódio.


beijinhos da leonoreta

9:37 PM  
Blogger Vagabundo said...

E quem sabe... sabe, e Platão melhor que ninguem sabia-o.
A "Alegoria da Caverna", não será real???

Bj Vagabundo

10:06 PM  
Blogger Mocho Falante said...

Pois é Leonor andamos a trote de alguns maus iluminatis é o que é...mas olha revolta-te porque é disso que a nossa liberdade se alimenta

beijocas

10:11 PM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha Querida Leonor

Um "sorriso" teu é um mundo de palavras... que eu decifro silaba a silaba – e digo obrigada Amiga.

Um grande beijo com muito carinho

11:39 PM  
Blogger Nónio said...

Vamos ver se trazemos o Nónio, de novo, à vida! Para já, escrevi um artigo a "bater" no José António Saraiva. Estou curioso sobre os vossos comentários. Passem por lá
http://nonioblog.blogspot.com/

12:07 AM  
Anonymous Filipe Freitas said...

Uma referência à nova foto da autora, que, pelo que tenho notado, há algum tempo que não era mudada...
Houve uma altura que era quase todos os dias... LOL....
Um Abraço.

2:50 AM  
Blogger Aromas Do Mar said...

Olá :)

Vem brindar connosco, vens? ;)

Beijinhos

3:23 AM  
Blogger augustoM said...

A Caverna de Platão é o sensitivo, aquilo que se nos torna sensível num dado momento, sendo este sensível alterado sempre que passamos de momento. Segundo ele o sensitivo é formado por ideias incriadas, já existentes, que são imutáveis seja qual for o momento.
A diferença é que os governos querem-nos sensíveis não com as ideias incriadas, universais, mas com as que eles querem criar.
Um beijo. Augusto

2:03 PM  
Blogger webdreamer said...

Duas perguntas: Quando é que deixamos de ter direito a respostas? E tenho direito a uma resposta a esta pergunta? Pelo menos temos sempre o direito de fazer perguntas, que podem "incomodar muito mais que as respostas". Uma terceira pergunta... O direito à resposta não devia estar nos Direitos Universais do Homem e nos Direitos da Crianca e, já agora, previsto na constituicão (ou está previsto...)? Enfim, eu continuo à procura de respostas...

6:07 PM  
Anonymous luisinha said...

Olaaaa.
Gostei muito do teu texto.
Mas, quer me parecer que os nossos iluminados sofreram um curto circuito rrrrrrr
Um beijinho
Luisinha

8:02 PM  
Anonymous IO said...

Excelente 'post', parabéns! - um beijo, IO.

9:39 PM  
Blogger almaqueabsorveaslagrimas said...

Gostei da tua forma de ver as coisas... Estás sensivel.. :S

Uma boa semana para ti minha querida

beijinhos no coração *****

10:20 PM  
Blogger Furão said...

A "Alegoria da Caverna" foi-me ensinada pela voz de David Mourão Ferreira, meu professor de Filosofia (sim, de Filosofia) no Camões, no meu 6º ano. Gostei muito, e percebi-a depressa, talvez por mérito do Mestre. O que todos os verdadeiros Mestres têm de bom é fazer-nos pensar por nós próprios, mesmo quando nos ensinam os pensamentos dos outros. Foi o que senti aqui, nesta pequena "aula". Esta alegoria é intemporal, como já aqui vi escrito pela mão de Ana Joana, mas a intenção de quem detém o poder foi e será sempre a de nos obsequiar generosamente com sombras. Porque a fórmula é boa. Porque nem precisam de pensar muito para a aplicarem. Já está pensada.

Bjs

1:47 AM  
Anonymous batista filho said...

Adorei o texto!... Aí, cá, todo tempo e lugar... às vezes é desanimador... como se nossa luzinha quase se apagasse... mas não seria isso que os de sempre gostariam que acontecesse?
As trevas, por mais espessas, deixam de ser trevas - confrontadas com a Luz! Que a Tua, nunca deixe de brilhar, amiga!
Um beijo solidário.

3:16 AM  
Anonymous Anonymous said...

Uma condição imprescindível da filosofia, não é encontrar o caminho certo, mas criar caminhos, ou seja, a filosofia visa ensinar a questionar e não a responder, ou visto de outra forma, respondendo questionando. A educação que temos tido desde que este espaço geográfico é um País, tem sido em dar a caverna como liberdade(este fenómeno não é tipicamente português, pois, em todos os países ditos avançados,vulgo Europa e América do Norte, quem teve a ousadia de dar a liberdade em vez da caverna, foi assimilado pelos defensores da caverna.

Um abraço

Lobo das Estepes

2:05 PM  
Anonymous mar said...

Ola,mais uma vez :)
" da segunda concordo. da primeira achei graça.."
Eu explico,é q no inicio ninguém lia....e assim ficou....
Beijo :)

3:06 PM  
Anonymous JMC said...

Portanto, adaptando isto ao seculo XXI, teremos:
Conforme conseguem ver a dita luz circustacial começam a tomar consciencia, não podendo portanto voltar para traz, e assim temos, os conscientes,os que querem ser conscientes mas não podem, os que podem mas não querem e os inconscientes por natureza ou deficiencia.
Gestão (Politica)
depois começamos a ter um modelo de organização(Ministerio), para colocar todos estes casos enquadrando-os segundo criterios definidos nao por conscientes, mas por alguem que já atinguio um estado superior de compreenção(Ministro) que tudo sabe e tudo faz(Tudo o que estiver ao seu alcance), para que sejamos os melhores entre os melhores. E de facto com tantos conscientes iluminados e bem formados, por será que o não somos??.
Poderá ser a caverna a entrar dentro de nós via a tal consciencia?.
Não sei!!!
Este seu texto é muito dificil de interpretar não só pela intrepretação que lhe deu, mas pela que quem o lê também lhe pode dar...
...Enfim Filosofia.
JMC

5:12 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA JMC

"E de facto com tantos conscientes iluminados e bem formados, por será que o não somos??."

concordo plenamente. faço essa pergunta muitas vezes.

gosto sempre muito dos seus comentarios.

abraço da leonoreta

9:02 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA A LUISINHA

um grande beijinho para ti Luisinha.

gosto de ver-te por aqui

9:23 PM  
Anonymous Anonymous said...

Best regards from NY! »

7:31 PM  

Post a Comment

<< Home