Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Monday, August 22, 2005

Novamente perdida



Como desculpa para sair das quatro assoalhadas onde me abrigo do frio e do calor e me escondo do mundo quando me canso de comunicar, a minha volta saloia acaba sempre na FNAC. Enquanto o VP se delicia a ver as últimas novidades de música em CD eu dirijo-me à secção de livros, geralmente de literatura infantil ou ciências da educação.

Ultimamente, o meu anjo leva-me de mão dada para a secção do esoterismo e das espiritualidades. Volta e meia ando às turras com o supremo. Nunca percebi certas coisas, nomeadamente… o que ando eu aqui a fazer. Eu e os outros todos como eu porque o sol não gira só à volta do meu umbigo.

E o supremo, porque ele é, não pode ou não quer, manda o meu anjo orientar-me na procura da resposta. E o meu anjo, lá na dimensão dele, não conseguindo emitir sons vocálicos iguais aos meus empurra-me literalmente para onde e para quem ele sabe que me pode elucidar.

Há dias puxei de um livro, capa vermelha, lombada fininha, letras douradas. Vidas cruzadas, era o titulo. Romance mediúnico que explicava o porquê de certos encontros que temos na vida. Nada é por acaso, era o seu fio orientador.

Da primeira vez que peguei no referido livro, sentada num daqueles bancos que a FNAC oferece aos seus visitantes, li cinco páginas. Na segunda vez, sabendo onde, estrategicamente, o tinha colocado, li mais sete. Da terceira vez não li nenhuma. O livro já lá não estava.

Puxei de outro livro. Capa azul, lombada fininha, letras douradas. Você veio ao mundo com uma missão, era o título.
Abri-o, folheei-o. Sentei-me. Passei o prefácio. Li uma folha aqui. Li outra folha ali. Falava do carma. Nunca percebi muito bem essa história do carma. O carma é a acção. A acção que vai e volta. Horas de ir embora.

Comprei o livro, por via das dúvidas.


da Leonor

23 Comments:

Anonymous VP said...

Tens dois anjos que de ti tomam conta. Um deles estava de folga. E eu disse-te desde o início para comprares o "Vidas Cruzadas". Canguinha....

VP, o que estava de serviço.

1:06 PM  
Blogger AS said...

Leonor,
Eu sempre fui céptico em relação ás ciosas isotéricas. Entendo que a vida será o que dela nós fizermos, sem qualquer espécie de determinismos, sejam eles o destino ou a sina.
Mas percebo que essas leituras sejam interessantes...

Um beijo

1:10 PM  
Blogger António said...

Minha querida.
Mais um bom texto sobre um tema que interessa a muitas pessoas e é altamente polémico.
Limitaste-te, e muito bem, a lembrar o assunto sem grandes desenvolvimentos.

Cá por mim, absolutamente ateu e materialista no sentido religioso e ideológico, esses assuntos não me estimulam.

Beijokas

2:19 PM  
Blogger António said...

As fotos da Guevara estão porreiras, não estão?
Lê-se perfeitamente o que está escrito no mosaico.

Jinhos

4:50 PM  
Blogger Caracolinha said...

Adorei este teu post ... fiquei em suspense até que, deixei descair os ombros depois de passada a tensão, frustrada por ter percebido que o livro sumiu e tu não leste as últimas páginas ...

E apesar de ser uma temática que também não me fascina especialmente devo confessar-te que tudo o que tu aqui publicas me prende absolutamente.

O que eu gostei deste post e da maneira como o terminaste ... pelo sim pelo não ... eh eh eh eh

Beijinhos minha querida !!!! ~:o)

5:57 PM  
Blogger Leonoretta said...

vp
e desde quando os anjos insultam quem tomam conta? rs


frog
existencialista hein?
e como ja te disse, eu as vezes tambem passo por ai

antonio
obrigado pela tua visita sempre tao estimulante pelos elogios. as fotos da guevar? optimas.


caracolinha
a primeira parte do teu comentario é muito importante para mim. diz exactamente a emoçao sentida pelo leitor pela escrita do texto.


abraço da leonor

6:30 PM  
Blogger isa xana said...

depois diz o que achaste do livro :)

*

8:50 PM  
Anonymous Anonymous said...

Leonor, o karma, segundo a filosofia indiana, são as reencarnações necessárias para a purificação total, que quando atingida, as reencarnações terminam e atinge-se o nirvana. O nirvana não é propriamente o céu convencionado pelos ocidentais, mas um estado de harmonia total com o Todo, de que passam a fazer parte. A forma da reencarnação reflecte as atitudes da vida anterior, ou seja, se foi uma pessoa de mau caracter, pode reencarnar por exemplo num cão.
Cuidado com essas leituras, especialmente se o autor for ocidental, e mais ainda se for espirita.
Um beijo. Augusto Klepsidra

10:21 PM  
Anonymous Anonymous said...

Leonor!
Passei aqui por perto, e aproveitei para entrar, já que a porta estava aberta.
O objectivo da minha visita?
Dar-te um grande beijinho,
António

11:35 PM  
Blogger th said...

Eu posso dizer que estou ATENTA!
não custa nada e vamos estudando o que "nos cai nas mãos". Beijinho cumplice, th

12:46 AM  
Blogger Leonor C.(nokinhas) said...

Engraçado, eu também gosto de me refugiar na FNAC folheando livros e lendo aos poucos em dias diferentes. Curiosamente,também visito a mesma secção... Digamos que exerce sobre mim uma certa atracção. A FNAC do CHIADO é a minha preferida pois vou muitas vezes à Baixa.
Espero que gostes do livro. Talvez seja o próximo que vou procurar...

Beijinhos

Leonor

1:16 AM  
Blogger Alexandre Sousa said...

Seria o livro assim tão caro? Estes vicios da leitura que nos trasnportam para mundos que desejamos nossos.

11:52 AM  
Anonymous batista filho said...

"Ser ou não Ser", crer ou não crer, amar ou não amar... basta simplesmente querer algo para sê-lo ou tê-lo?
A vida nos apresenta alguns sinais interessantes:
- as necessidades básicas de alguém que teve a sua casa e família destruídas por ordem expressa de um Bush, por exemplo, são as mesmas desse próprio Bush;
- o amanhecer vem pra todos, após cada noite (também pra todos), acreditando ou não!
A questão maior não é acreditar ou não acreditar no Divino. Nunca foi. Simplesmente se aceitar como humano; reconhecer essa humanidade também nos outros: independente de cultura, cor, religião, nível sócio-econômico - já está de bom tamanho -, e de certa forma, atende ao pensamento de Buda, Cristo, Gandhi, Karl Marx, Francisco de Assis...
Provavelmente hoje, Leonor, deverei publicar um poeminha... se te apetecer...
Um beijo fraterno, amiga.

1:41 PM  
Blogger Menina_marota said...

A vida ensinou-me uma série de coisas.
A vida, fez-me acreditar numa série de coisas, em que nunca antes, tinha acreditado.

Quando o meu marido adoeceu e o médico me diz de uma assentada: vá pondo o coração ao largo, prepare a sua casa e compre uma cadeira de rodas, porque isto vai ser um pesadelo, que talvez termine em breve, porque ele não tem grandes esperanças...

Eu não aceitei. Agarrei-me a tudo. E a esperança e a fé, foram mais fortes que aquelas terríveis palavras. Já passaram quase 7 anos. Não comprei a cadeira de rodas. Não mudei a casa. E a minha fé, deu-lhe forças para lutar. Diáriamente. Por vezes pergunto-me: de onde vem esta força?
Acreditar. Temos que acreditar. Temos que ter esperança.
Não se pode viver sem isso...

Um abraço terno ;)

4:24 PM  
Blogger lazuli said...

Sou uma curiosa de assuntos esotéricos. Há tanto ainda por descobrir. Tantas coisas que hoje fazem parte do conhecimento científico, seriam consideradas esotéricas na sua época. E a curiosidade bem doseada é saudável:) Um beijo. Fernanda.

11:10 PM  
Blogger Miguel Sousa said...

quando olho o que se passa na palestina, no iraque, o que acontecu com tsunami, as doenças que andam por aí...tenho muita dificuldade em acreditar no supremo....acredita que é uma luta muito grande...eu queria acreditar

12:42 AM  
Blogger José Gomes said...

Leonor,
Entrei aqui com um comentário na ponta dos dedos mas ao ler o que te escreveram, nem me atrevo.
Cepticismo, materialismo, ateismo são uma forma de dar respostas fáceis à folta da investigação.
Tu acreditas nos anjos, eu no destino... acredito no karma como forma de energia...
Já disse mais do que devia.
Mas é um prazer visitar esta tua casinha.
Um abraço.

1:58 AM  
Anonymous Friedrich said...

Pelo menos esse vais conseguir ler até ao fim, sem o tirarem do lugar… :)
Karma aqui Karma ali, nem sei se é bom nem mau, apenas sei que acreditam na reencarnação, daí os hindus não se preocuparem muito com a vida terrena, limitando-se à meditação, o que também deve ser uma canseira.

Beijos

3:38 AM  
Blogger Leonoretta said...

Isa
O livro? Não sei se e bom nem mau porque não leio muito sobre o assunto. mas explica bem algumas coisas segundo a perspectiva da autora, claro. para elucidar principiantes acerca da nossa missão aqui nesta vida, rs


Augusto
Agora que me chamas a atenção para a diferença entre karmas, penso que o livro que comprei se baseia numa atitude ocidental e espírita. Porque a ideia que eu tinha de karma é aquela da filosofia indiana.


António (palavras)
Gosto muito que passes sempre por aqui. Obrigado


Theo
Sou como tu. Atenta… tento… rs


Andorinha
Ai a paixão dos livros………………


Alexandre
O livro não era caro, mas se me ponho a comprar todos os que eu quero o meu ordenado não chega…. E depois há o espaço em casa que não e muito.


Batista
Não precisas de me lembrar para passar na ilha dos mutuns (este nome é formidável) mas fizeste bem, rs


Marota
Eu adoro a espontaneidade dos teus comentários. Obrigado.


Lazúli
Tambem acho que o importante é a curiosidade que nos leva a querer saber.


Miguel
São coisas que não entendemos e por isso temos tantas duvidas.


Ze (chuviscos)
Tantos caminhos possíveis. Qual deles será o certo?


Fried
Este já ninguém mo tira, rs
Quanto aos hindus… grandes penitencias. Não sei, não sei….



abraço da leonor

9:07 AM  
Anonymous Anonymous said...

Leonor:
O livro ensinou-te alguma coisa? Ou melhor, por ele, aprendeste alguma coisa? Se sim, foi bem comprado. Se não, foi bem comprado na mesma, porque te ensinou que deves ser mais selectiva na escolha dos livros que compras.
Mas não te esqueças que só aprendes o que queres. Aprender é, contrariamente ao que muitos pensam, um acto solitário, em que apenas nós e só nós, decidimos se queremos ou não aprender. Por isso, se não quiseres aprender sobre um determinado tema, é inútil comprares livros sobre esse tema, porque eles não te ensinam nada. Não porque não tenham conteúdo, mas porque tu o recusas.
A decisão é tua.
Eurico

5:15 PM  
Blogger Leonoretta said...

claro que sim, na vida só aprendo o que quero, quando quero e como também.seja como for, aprende-se sempre alguma coisa, mais que nao seja a saber escolher.

abraço da leonor

12:13 PM  
Anonymous Anonymous said...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. Britney spears butt Patent and copyright law dropship radar detector lingerie shoppingdiscounts digital photo printing service cheap brazilian bikinis escort radar detector escort radar detector escort Roulette+strategies Used+whistler+975+radar+detectors http://www.rsxacura.info Rashes from proactiv cheap moving company

4:02 AM  
Anonymous Anonymous said...

Excellent, love it! here

11:43 PM  

Post a Comment

<< Home