Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Friday, January 30, 2009

Onde arranjar metáforas?

Entende-se por trabalho cientifico uma pesquisa que seja exequível, pertinente, feita com rigor e que objective a cientificidade.

O trabalho cientifico implica uma parte teórica (fundamentada por autores de gabarito, de preferência, para mostrarmos que andamos por dentro do assunto) e outra empírica ( a nossa observação no terreno, in locco).

Formulem uma hipótese do tipo – isto se a pesquisa for em biologia marinha – será que as alforrecas cospem para o ar num mar infestado por tubarões?

Vão à livraria ou digitem no Google e vejam quem já escreveu sobre o assunto. E não se espantem de ver a quantidade de estudos que já existem sobre o assunto. Sobretudo não desanimem.

Leiam. Leiam sempre mesmo quando já perceberam que já leram bastante. Continuem a ler. Nunca parem.

Simultaneamente, comecem a vossa observação. Caracterizem a vossa amostra. Pensem no modo de lhes sacar informação e no modo de analisar essa informação. Isto, no caso da amostra ser gente e conseguir falar. No caso das alforrecas será difícil. Suponho eu que entra aqui o conceito de exequibilidade. (sempre que digo esta palavra enrolo a língua quando chego ao “bi”)

Redijam o trabalho com frases curtas. como diz Umberto Eco, deixem as frases longas para o Proust. Lógicas rápidas. Isto é, uma variável tem de justificar a outra. Ou não. E se não, justifiquem-no nas conclusões.

A somar a isto tudo que tem de ser feito com prazos há a relação com o orientador. Da primeira sessão conjunta de trabalho surge a primeira emenda. Da segunda sessão, surge a emenda da emenda. Da terceira sessão, surge a emenda da emenda da emenda.

E nesta altura começam a questionar-se sobre a pertinência do vosso trabalho e a verem que já deixaram de ver quatro estreias no cinema.

Tudo tem um começo, um meio e um fim.

Finito.

Conclui, pela investigação feita que para além da hipótese formulada, o trabalho científico mata a metáfora.

E porque as metáforas morreram em mim estou nesta crise do não conseguir escrever e fico, assim meio apática a olhar o teclado e o papel branco..

Obstinada como sou, tenho de procurar metáforas.

Leonoreta

17 Comments:

Blogger Geraldo Maia said...

Olá Leonor,
É uma grata satisfação visitar o seu blog pela primeira vez.
Muito interessante.
Cordialmente do Brasil:
Geraldo

8:04 PM  
Anonymous JMC said...

Não é facil. Quando se trata de trabalhos, estudos ou ensaios virados com 'Orientação para os resultados', pois à partida deixa-nos algo inibidos, temos de os fazer com base em moldes pré-concebidos quer de conceitos estruturas e até consultas.
Acho que neste tipo de actividade se deve apresentar um trabalho em 'bruto' e, a partir dele é que se deve ir melhorando, embelezando, pulindo e lapidando até obtermos em produto final de qualidade, que nos agrade fundamentalmente a nós e tambem a quem tenha de os ler ou avaliar.
E por fim continuação de bons trabalhos, investigações ou ensaios, com metáforas ou não.

É preciso não esquecer que a perfeição, é uma sucessão de erros.

Bom fim de semana.

JMC

3:02 PM  
Blogger Leonor said...

JMC

mais uma vez assino em baixo.
pela minha parte os trabalhos cientificos terminaram. agora vou divertir-me na escrita criativa, rsss
abraço

5:07 PM  
Blogger Arabica said...

Leonor


eu -contráriamente- a ti, acordo submersa num mar medusas metáforas que me tentam, com toda aquela sua massa esponjosa reter-me sob o calor do cobertor, passo o dia a tentar afastar pensamentos para os quais rapidamente me saltam à vista metáforas e adormeço, brincando a contar metáforas...

Só receio que um destes dias, ninguém me perceba :)

Beijos, metáforas e um bom domingo :)

10:01 PM  
Blogger Chat-blogger said...

Olá, muitos trabalhos científicos ainda não tiveram fim para nosso mal, ainda temos muitas perguntas por responder e depois dessas mais vão aparecer. Gostei.. bj

1:10 PM  
Blogger augustoM said...

Olá Leonor venho cumprimentar-te neste dia chuvoso. Metáfora? Não será a nossa viva uma metáfora?
Um beijo. Augusto

4:57 PM  
Blogger Mocho Falante said...

queida Leonor como eu te entendo, já passei bem por isso, cada vez que me lembro que passei a maior parte do tempo da minha investigação com os orientadores a riscar tudo, e depois a confundirem-me ainda mais até me arrepio...olha boa sorte

beijos

5:29 PM  
Blogger heretico said...

mas para quê tanto trabalho? não se compram "prontas a servir" teses de doutoramento pela módica quantia de @50 mil euros?!...

e as metáforas... para servem?

(a menos que queiras editar a nova versão do "Carteiro de Pablo Neruda"... rss)

gostei do texto. e da tua ironia desencantada.

beijos

7:34 PM  
Blogger A.J.Faria said...

Olá, Leonor!
Quando o trabalho tem que seguir determinadas cordenadas pré-concebidas e não deixa lugar à inovação de quem o efectua, torna-se mais complicado.
E, já agora, não te preocupes com as metáforas, forçosamente acabarão por surgir...

Um beijinho grande, amiga de sempre!

5:35 PM  
Blogger Fragmentos.Betty Martins said...

._______querida Leonor




pensavas que eu me tinha esquecido de ti!?




.IMPOSSIVEL!!!



_________metáforas. fazem tanto.tão parte de nós...





tenho saudades tuas:=(






fica uma flor*





beijO________ternO

12:01 AM  
Blogger Márcio Beckman said...

Se não acha as metáforas, meta-as fora de você. Eu já passei por todo esse processo da pesquisa científica e só de ler já dá vontade de desistir, mas nunca desista daquilo que ama, ninguém perde sua alma, às vezes ela só se esconde por um tempo enquanto as coisas estão turbulentas.

3:17 PM  
Anonymous JMC said...

Leonor,

Nestes diazinhos de Carnaval, podia ter-se lembrado de nós!.
Era bom haver algo de Seu por aqui.

Boa semana.

JMC

11:39 AM  
Blogger Mocho Falante said...

andamos tão caladinhas....

beijocas

12:19 PM  
Blogger Leonor said...

PARA JMC

nao tem sido facil começar a escrever. tenho andado ás voltas com o meu novo livro de literatura infantil (escolher desenhos e afins) que vai sair em breve.
mas obrigado pelo seu interesse.
um abraço

7:46 PM  
Anonymous JMC said...

Bom trabalho então e, que seja um sucesso esse Seu livro.

JMC

8:52 AM  
Blogger Leonor said...

PARA JMC

obrigado. depois farei saber os resultados.mas entretanto, José vá passando.
um abraço

8:15 PM  
Blogger APC said...

Como te entendo!... E quando se descobre que os belíssimos instrumentos de medida que escolhemos e que tivémos de aprender a utilizar, podem servir para muita coisa mas não servem para medir o que há a medir? E, no meio de todo esse tumulto, sabes o que é pior, né? É mesmo desanimar, deprimir e adiar. Com isso pode perder-se anos ou desistir mesmo. Ao passo que continuando, aos poucos o novelo derenreda-se. É...!

Um abraço.

6:37 AM  

Post a Comment

<< Home