Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Thursday, December 20, 2007

Fragmentos dela, dele e às vezes dos outros (18)

Era outra vez Natal. Quando ela era pequena gostava do Natal. O Natal era-lhe sinónimo de prendas. A mãe colocava-as junto da árvore à medida que elas iam aparecendo lá em casa. Esta é da tia para o pai. Esta é da mãe para ti. Ela não abria nenhuma caixa. Sempre fora obediente. Além disso, gostava de ver os embrulhos de papel vistoso e fita larga e torcida, mas numa curiosidade quase mórbida queria saber antes do dia destinado ao desfazer dos laços o que lhe tinham comprado. Nunca abria uma caixa mas instigava a mãe de modo sistemático, insistentemente. De que cor é? É quadrado? Tem cabelos? Diz a primeira letra. E agora quantas letras tem?
A mãe trocava-lhe as voltas mas o que ela queria era o soslaio do olhar, o passo em falso no sorriso.

- Dá-me uma prenda de Natal. Faz-me um desenho. – disse ele.
- Não é fácil fazer um desenho. Para mais, eu não sei desenhar. – disse ela.

Ela desenhava como as crianças. Todos os seus traços eram naif. Contudo, ela fê-lo.
Uma clareira no meio de uma floresta, um céu azul sem nuvens. Apenas três pássaros ao longe. Ele e ela de frente um para o outro, sentados no chão, na partilha de uma merenda.

Ele olhava o desenho.

- Não vais pendurá-lo por cima da mesa de cabeceira? – perguntou-lhe ela ironicamente.

- Nota que não te vou fazer uma critica, apenas uma constatação. É sem duvida um espírito infantil o que preside ao desenho. Adoptaste o Universo das crianças porque constitui um espaço de fuga. "A arte da fuga" é uma constante nos artistas que só varia no modo e nas preferências. Imaginário infantil e até a própria arte de não dizer mas, sugerir, como acontece nos teus textos, faz me lembrar o Pessoa quando diz: "a arte é uma confissão de que a vida não basta". A ti não só não te basta como ainda por cima te aflige.

Ela ouvia-o de sobrolho franzido. Um dia quis experimentar saltar para a vida e para as pessoas numa transparência de fazer doer. Quando quis retroceder era tarde demais.
Leonoreta

18 Comments:

Blogger Sophiamar said...

E é outra vez Natal. Como o tempo passa! Há lá melhor prenda do que um desenho? E uma observação cuidada do mesmo traz-nos sempre uma mensagem. Normalmente de amor, amizade, alegria....
Bom Natal! Não deixes desembrulhar as prendas embora , de soslaio, tentem adivinhá-las.
Beijinhos.

7:37 PM  
Anonymous Anonymous said...

Excelente abordagem do espírito do Natal.
Desejo-te tudo de bom, Leonor!
Um Feliz Natal!

11:29 PM  
Blogger viajante said...

Que o verdadeiro Espírito de Natal te encha de Felicidade.
Bjs

7:51 AM  
Blogger mixtu said...

arte é...

curioso que eu sou uma grande criança, até no desenhar :)

feliz natal
abrazo europeo

11:02 AM  
Blogger augustoM said...

Leonor com um grande beijo desejo as Boas Festas e a toda a família.
Augusto

5:09 PM  
Blogger APC said...

Ó, minha menina... Que lindo salto para dentro, para um espaço de fuga que não pode fugir!... Que bonito natal escrito!

Vim aqui para te desejar o melhor! Neste Natal, para o Novo Ano que aí vem, por toda a Vida!

Um grande abraço, Leo!

4:49 AM  
Blogger José Gomes said...

Minha amiga,

As tuas narrativas continuam a ter o condão de me surpreender.
Neste Natal deixa-me compartilhar contigo esta missiva:

Esta mensagem não é para aqueles de quem me lembrei, mas para aqueles que pretendo NUNCA esquecer!
Um NATAL cheio de PAZ e muita SAÚDE!


Boas Festas e um abraço muito especial.

José Gomes

5:05 PM  
Blogger M.P. said...

Venho deixar os votos de um bom Natal e desejos que o Ano Novo chegue carregadinho de coisas boas e que possam ser gozadas com Paz e boa saúde. Beijinhos

12:10 AM  
Anonymous Praia da Claridade said...

Leonor: envio os meus votos sinceros de BOAS FESTAS.
Um Natal Feliz e um Bom Ano de 2008, especialmente com muita saúde.
Um Abraço.

12:55 AM  
Blogger batista said...

Por cá passa da meia-noite, Amiga. É véspera de Natal. Que a Espiritualidade Maior esteja contigo, sempre.
Um abraço fraterno e saudoso.

2:11 AM  
Blogger José Manuel Dias said...

Feliz Natal e um Bom Ano de 2008.
Bjs

9:42 AM  
Blogger Eva Shanti said...

Passei para desejar um Bom Natal e um óptimo 2008!

E para dizer que adoro as tuas histórias!

Bjs

11:15 AM  
Blogger Mocho Falante said...

Querida Leonoreta, que tenhas um Natal muito doce e que 2008 continue a ser mais uma ano a oferecer-nos maravilhosa escrita e que sejas bafejada com tudo de bom

beijoca

2:13 PM  
Blogger Aldina Duarte said...

Festas Felizes
Assim na Terra
Como no Coração!

Até sempre!

6:10 PM  
Blogger luis manuel said...

Um Santo Natal
Alegremente

10:45 PM  
Blogger Luis Brissos said...

olá boa noite, peço desde já desculpa pela intromissão, mas sou um estudante da faculdade de ciências e psicologia da educação da universidade de lisboa e gostaria, se fosse possivel, ajudar-me com informações sobre os povos celta iberos, visto que já soube que fez um trabalho sobre os mesmos, obrigado desde já, luis brissos

6:40 AM  
Blogger batista said...

esse texto... quase te ouvi falando, de ti para tu mesma. mas ouvi, tenho certeza. com sotaque e tudo!... num determinado momento, vontade de rir. noutro, nem tanto. senti algo quente nos olhos. e na alma.
um beijo, Amiga.

10:55 AM  
Blogger lena said...

querida amiguinha, querida Leonor

estive atenta a todas as tuas partilhas, as palavras essas ficaram embargadas

não gosto da época que passou, refugiei-me um pouco. gosto de um natal permanente, porque é todos os dias que me lembro das pessoas, de as mimar, de lhes dizer o quanto são importantes para mim, de lhes desejar o melhor

gostei destes fragmentos, é um prazer ler-te e a arte é mesmo uma confissão..., como tão bem escreveu Pessoa

o meu carinho de sempre, a mesma ternura que tenho por ti, o meu abraço amigo e beijinhos doces

lena

12:23 PM  

Post a Comment

<< Home