Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Saturday, January 21, 2006

Os Versos têm Segredos


Olho para a minha planificação mensal. Entre os vários conteúdos para dar neste mês constam as rimas. Pego no meu dossier de lombada larga, cheio de textos arrumados por temas, religiosamente bem conservado e aumentado ao longo dos anos da minha docência e, que este ano, em vez de ir ao meu ombro, no saco azul habitual a espreitar o céu lisboeta, foi num cesto para roupa engomada de plástico amarelo às escuras de um porta bagagens parar ao Minho.

Não que ache os manuais desprovidos de senso. Organizados segundo o programa educativo ajudam-me a segui-lo sem me perder. Mas como não existe o manual perfeito, e entenda-se aqui o conceito de perfeição como a minha sabedora aprovação, faço eu o meu manual. Todos os professores têm um só deles.

Acabados de chegar à sala, os miúdos falam enquanto tiram cadernos e estojos das mochilas. Vão-se acalmando à medida que vão passando para o caderno a data e o plano de aula. O plano dá-lhes uma perspectiva do que farão naquele dia pelo que terão de organizar o seu ritmo em função da tarefa a cumprir. Os mais curiosos querem saber o significado dos conteúdos antes do tempo.

- Professora, o que são rimas?

Ainda estou de costas para eles a escrever as últimas palavras no quadro mas reconheço a voz do André.

Faço que não ouço. Não é por ai que quero começar. No fim, saberão o que são rimas e eu não precisei de explanar a teoria. Farão o link sozinhos da prática à representação racional.

De pé, encostada ao quadro, de frente para os alunos, leio o texto de Carlos Pinhão.

“Gil estava apaixonado pela sua colega Matilde. Fazia-lhe versos em que paixão rima com coração e amor rima com flor e às vezes com dor porque o Gil pensava que a Matilde não gostava dele.”

Riem e olham uns para os outros, camuflando algo que fazem há já algum tempo: versos que falam de paixonetas. Só que não rimavam e os do Gil são mais engraçados porque rimam e a rima é como se fosse uma espécie de música que damos às frases.

- Ok. Vamos lá imaginar como seriam os versos do Gil para a Matilde.

Todos estão numa agitação latente da imaginação. O entusiasmo estala. Vou lá para trás, reduzindo ao máximo a minha presença. Gritam-se versos. Repetem-se versos. Escrevo o que dizem, e de vez em quando, intrometo-me:

- Não, não, a palavra final desse verso tem de rimar com a palavra final do verso de cima. Arranjem outra.

Os versos ficam feitos. Os versos ilustram-se. E todos sabem que rimas são palavras que têm na sua terminação a mesma conformidade de sons.
Para concluir lanço para o ar que os versos têm segredos. que às vezes rimam mas outras vezes não, mas que são sempre poesia. (como os de Alberto Caeiro que nunca rimam mas que comportam em cada palavra um segredo)


(Será que ouviram?)


da Leonor

39 Comments:

Blogger Mocho Falante said...

ouviram certamente mas só os mais dispertos irão mais tarde perceber a magia do poeta...e aí vão lembrar-se de quem lhes ensinou e mostrou essa magia...é sempre assim

2:20 PM  
Blogger António said...

Querida Leonor!
Querida professora!
Mais um belíssimo texto inspirado nos teus alunos e nas tuas aulas.
Em suma: nas tuas experiências de vida, sejam elas muito ou pouco marcantes.
Continua a escrever assim que eu te lerei com um relaxante prazer.

Beijinhos

2:57 PM  
Blogger myanmar said...

oh, gosto de ler estas coisinhas.afinal, eu estou do outro lado:)

3:19 PM  
Blogger AS said...

Querida Leonor... Começar pelas rimas é deixar fluir a liberdade da expressão das formas mais diversas...
Ainda que a rima seja imperfeita, ALEGRA-TE!...

Beijos...

6:45 PM  
Blogger José Gomes said...

Interessante, ontem ouvi o Frog a ler a sua poesia...
Hoje, enquanto "vivia" a tua aula lembrei-me do Frog, dos teus alunos, das minhas andanças por este mundo de rimas...
Lembrei-me do meu poema escrito era eu uma criança e que o declamei debaixo de um caramanchão...
Só que nesse tempo tinha outro tipo de professora: severa, olhar duro, régua na mão. Mas mesmo assim gostava dela.
Boa semana, amiga.

7:12 PM  
Blogger Caracolinha said...

Minha querida Leonor
Eu já não tenho ilusões
Estes teus posts são sempre
Grandes e lindas lições

E antes de me ir embora
Fica uma beijoca minha
Para ti que és tão linda
Da amiga caracolinha

Parabéns minha linda, é bom saber que existem pessoas a ensinar os futuros homens e mulheres de amanhã e que têm essa tua sensibilidade.

:))

7:41 PM  
Blogger GNM said...

Estava a ler-te e senti-me percorrido por uma suave nostalgia. Recordei-me das minhas aulas de ensino primário, foi aí que escrevi os primeiros versos...

Um excelente resto de fim de semana para ti!

Fica bem e continua a sorrir...

9:44 PM  
Blogger António said...

Agora só venho aqui agradecer-te a visita que me fizeste e dizer-te que continuo à espera de te ver a comentar esta minha história...e não só.

Beijinhos

10:04 PM  
Blogger A.J.Faria said...

Olá, leonor!
Que a poesia e sabedoria que está em ti, possa ir ensinando e cultivando os meninos, futuros homens do amanhã!
Um grande beijinho,

10:06 PM  
Blogger Eva Shanti said...

Leonoreta,

Começas por dizer que os manuais são deprovidos de senso, que ajudam na planifição, que são, nio fundo, um guia, um fio condutor.

Mas rematas com uma coisa que acho fantástica: «todos os professores têm um (manual)só deles».

Cada um tem a sua maneira de intepretar um progama que é igual para todos, mas ao qual dá o seu cunho pessoal.

Sorte dos teus alunos terem uma professora como tu que lhes alarga os horizontes e os desperta para a vida.

Quantos aos versos, rimados ou não, desde que venham do coração, são um encanto!

Confesso que sou mais apreciadora de prosa e de descobrir a poesia na prosa...

Bjs

10:25 PM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha querida Leonor

RIMA - Homofonia ou conformidade de sons entre dois ou mais versos; ocorre geralmente em final de verso. Não é um elemento essencial do verso, que pode dispensá-la, designando-se nesse caso verso branco. Se definirmos a rima como a correspondência de sons, verificamos que ela também pode existir na prosa. Pela rima, as palavras entram em relação (de conexão ou contraste). Podemos distinguir rimas ricas e rimas pobres (consoante se correspondem sons vocálicos e consonânticos, a categoria das palavras que rimam, etc.); blá,blá,blá,blá (Isto seria eu a explicar)

Discurso bem complicado para as crianças.

Mas tu – na tua sensibilidade e inteligência, em poucas palavras – defines tudo o que é preciso:

“Para concluir lanço para o ar que os versos têm segredos. que às vezes rimam mas outras vezes não, mas que são sempre poesia. (como os de Alberto Caeiro que nunca rimam mas que comportam em cada palavra um segredo”)

A tua explicação – está completa – maravilhosamente perfeita!

Beijinhos

11:49 PM  
Anonymous mar said...

Os versos têm segredos, qd saiem do nosso coração, e nesse caso, a rima é o q menos importa. Bjs e uma optima semana

12:29 PM  
Blogger saisminerais said...

Ó minha querida Leonor, mas que alívio
Deve de ser falta de algo na minha vida! Agora já sei o que foi.
Sempre a pensar que alguns dos versos que ja fiz tinham falta de qualidade porque não rimavam!
Obrigado
Beijo do Alex@ndre

1:09 PM  
Blogger lena said...

certamente que ouviram, adoro os teus textos, quando os misturas com os alunos, os "teus pequenitos"
tanta sensibilidade e inocência junta que me toca
e rimas mesmo pensadas dificilmente as consigo fazer sem parecerem naturais, a rima para mim tem que fluir, não pode ser forçada, por isso desisto com facilidade, acabam por se transformar em palavras com segredos

deixo isso para os Poetas

a ti adoro ler-te é o mais importante

beijinhos meus

lena

6:08 PM  
Blogger Aromas Do Mar said...

Desculpa as ausências, mas fui tia pela primeira vez e ando a curtir o sobrinho :)

Boa semana

Beijos da Lina

11:58 PM  
Blogger Henrique Santos said...

Ai as rimas, as rimas,
ainda bem que têm ligações,
com as primas, as primas,
e, com elas, as paixões!

Quanto mais prima,
mais se lhe arrima,
é ditado sim senhor,
e rima com amor? dôr?

Ah "minina" professora,
minha professora Senhora,
quero voltar à escola,
com um bibe e uma bola!

Pois, hoje foi assim...
Bjinhos Ricky

11:37 AM  
Blogger Henrique Santos said...

This comment has been removed by a blog administrator.

11:38 AM  
Blogger augustoM said...

Aprender poesia rimada
Partindo da desrima
Não há coisa mais amada
Do que a professora Leonor ensina
Um beijo. Augusto

1:50 PM  
Anonymous JMC said...

Estive fora, volto já a seguir.

Um abraço.

JMC

10:37 PM  
Blogger NightWolf said...

Nunca fui muito adepto de rimas, mas a poesia invade os meus dias, beijinhos e parabens por mais uma magnifica historia

11:24 PM  
Blogger SaltaPocinhas said...

também não me conformo com os manuais... um dia havemos de "casar" os nossos dossier´s...
os meus garotos adoram fazer versos, hás-de passar pelo blog deles para ler alguns! é que também já toparam que se eu exijo 10 linhas em verso é muito mais fácil!

1:39 AM  
Blogger Nilson Barcelli said...

Se, quando passei pela escola, a minha professora fosse como tu, hoje escreveria muito melhor.
Falaste no Minho. Estás lá a dar aulas? Tenho ideia de se ter falado nisso, Esposende ou Póvoa... Estou sempre a esquecer os detalhes ou a fazer uma grande confusão...
Beijinhos

10:06 AM  
Anonymous JMC said...

Gostei muito deste texto, não só pela envolvencia que ele nos proporciona, mas tambem, pelas mensagens nele deixadas e conhecimentos transmitidos, embora de uma forma muito suave, para quem está a aprender e tem que interiorizar estes conceitos, são eles, Organização (plano de aula), gosto pelos temas a tratar, dando alguma curiosidade sobre o tema, tornar participativa toda a aula. O manter-se fora do contacto visual, para não exercer pressão e poder ver se tudo está a correr bem, enfim organização.
JMC

12:00 PM  
Anonymous ferrus said...

Eles não sei, mas acredito piamente que sim. Agora eu...

ouvi ( li ) a explicação
dada pela professora leonor
que ensina com o coração
os meninos a versejar ao amor.


Beijinhos aqui te deixo e confesso-me triste por não ter nascido em dia de ser teu aluno...devem ser momentos de magia :-)

2:28 PM  
Blogger A .Carlos said...

olá leonor,
Certamente que ouviram, nem todos irão recordar,
mas os que recordarem ,lembrar-se-ao de quem, com sensibilidade os ensinou.
Bjs
:)

7:14 PM  
Blogger Leonoretta said...

para JMC

obrigado mais uma vez pelo simpatico comentario, denunciando atenta do meu artigo o que me envaidece muito.

tento sempre fazer o meu melhor, melhorando todos os dias.

abraço da leonor

9:29 PM  
Anonymous Anonymous said...

Resta-me agora ler e reler aquilo que escreves.
Sempre pensei que os ares do norte te davam outro ânimo, outra vida.
"tento sempre fazer o meu melhor, melhorando todos os dias".
Gostei desta frase. Pareces mais liberta da pressão a que tens sido submetida estes meses.
Tem uma boa semana.
J.G.

5:37 PM  
Anonymous Filipe Freitas said...

Como é que os alunos não hão-de gostar de ter uma Professora assim ?!!!
Um Abraço.

3:10 AM  
Anonymous Van said...

Oi Leonor
Há quanto tempo...
O meu pc resolveu entrar em coma ha un tempos e só agora comprei um. Daí que nunca mais tinha visitado o teu cantinho. Li agora os teus votos de Boas Festas e quero agradecer-te.... que o teu ano seja *****, tudo de bom para ti!
Um beijinho meu,
Van

9:41 PM  
Blogger António said...

Obrigado pela visita, Leonor querida.
Então as minhas personagens são todas safadas?
Ai que moralista tu me saíste!
Ainda vais para freira...ah ah ah

Beijinhos

12:46 AM  
Blogger isa xana said...

um beijinho para a senhora professora leonor;)

3:15 PM  
Blogger Menina_marota said...

Tenho tanto para ler, mas confesso que ainda não me sinto com coragem ou força, para o fazer. Também porque a minha visão ainda está fraca...

Passei mesmo só para te deixar um abraço de bom fim de semana.
Quando estiver completamente recuperada, virei ler tudo a fundo. Está prometido!

Um abraço carinhoso e bom fim de semana :)

10:50 PM  
Blogger Leonoretta said...

Para a Van

ola Van. já pensava que tinhas desaparecido aqui do sítio. é sempre um prazer "rever-te".

obrigado pelos teus votos de bom ano também.

beijinhos da leonoreta

12:17 AM  
Blogger saisminerais said...

Ola linda, vim só deseja-te um optimo fim de semana e dizer obrigado pelo coment no meu cantito... beijinhos, pena não te ter visto inscrita no blogsticio mas tás longe, não é?
jocas mais uma vez

4:11 AM  
Blogger Bárbara Vale-Frias said...

Que lindo, Leonor! :)))

Eu gosto da poesia das palavras mas de certeza que tenho menos jeito do que os teus alunos para escrever rimas! Lool

Prefiro a prosa poética... ;)

11:42 AM  
Blogger sp said...

concordo que os versos tem segredos e liçoes...gostei de passar por este blog...

5:48 PM  
Blogger Luís Monteiro da Cunha said...

Parabéns!
"De pequenino é que se torce o pepino"

Tomara eu ter tido uma professora que se atrevesse a ensinar-me a rimar...lol
Mas não tive... apesar de o fazer constantemente...

12:19 AM  
Blogger zoltrix said...

TU lês Carlos Pinhão!!!!!!
Não imagino se é " obrigatório" de "manual", mas desconfio que não. CARLOS PINHÃO! Que lindas leituras fazes com os teus putos!!!

11:16 PM  
Anonymous Anonymous said...

Oi seu blog é muito bacana..e gostaria muito de pedir um favor..como vc fez para colocar a música de fundo..pois tenho um blog dedicado a Almir Sater e gostaria de fazer o mesmo
Abraços
fica na Paz.

12:08 AM  

Post a Comment

<< Home