Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Saturday, December 17, 2005

É preciso acreditar



Na escola, cada mês do ano marca sempre um evento. Novembro é o mês do Magusto. Em Março começa a Primavera e é o mês da árvore e do Pai. Maio é o mês da Mãe. Em Julho acabam as aulas. E por ai fora. E assim, os miúdos vão tomando conta dos dias, dos meses e dos anos.

Dezembro chegou e com ele os últimos dias do primeiro período escolar. É tempo de falar da tradição do Pinheirinho, do nascimento de Jesus, da figura do Pai Natal.

Adepta ferrenha da ardósia e do giz desenho no quadro um rectângulo com os lados paralelos mais longos na vertical, presumível exemplo de uma folha A4 “em pé”.

- Hoje vamos aprender como se escreve uma carta. – digo eu, tentando preservar um costume que se perdeu com a era dos emails. – e vamos escrever a quem? Mais tarde, quando já souberem como se faz, irão trazer o envelope e o selo e mandar cartas uns aos outros. Mas agora precisamos de alguém. Pode ser o Pai Natal.

- Mas, professora, o Pai Natal não existe.

Desde que ensino, que ouço sempre a mesma coisa em todas as turmas, do primeiro ao quarto ano. A expressão não é nova para mim. Contudo fico sempre terrificada quando a ouço. Aproveito a deixa e ponho uma cara de profundo espanto, começando a narrar uma história de improviso, sem livro na mão, sem que eles percebam, para já, que vamos dar o salto para a ficção.

- Não existe!!?? – pergunto eu.

-Não! – respondem eles.

- Então como é que os presentes aparecem na chaminé?

- São os pais que compram e os metem lá.

- OK! Mas como é que aparecem na minha chaminé? Não são os meus pais que os metem lá.

Os miúdos não respondem. Alguns ainda tentam a contra argumentação mas ficam-se pela boca aberta presa na palavra. Que indecência professora, aproveitar-se assim da inocência dos seus alunos. Decido descansá-los e contar-lhes realmente como as coisas são para acabar de vez com alguns equívocos.

- Vocês têm razão. São os pais que colocam os brinquedos na chaminé ou na sala junto do Pinheirinho. Por uma razão muito simples. O Pai Natal é só um. Ele leva o ano todo a trabalhar juntamente com os duendes, aqueles homenzinhos pequeninos vestidos de verde, a fabricarem brinquedos para todos os miúdos do mundo. Mas apesar da ajuda dos duendes e de ele poder voar no céu com o trenó a uma velocidade espantosa, ele é só um e não consegue fazer tudo sozinho. É então que ele pede a ajuda dos pais porque só uma noite não chega para ele entrar em todas as chaminés.

Alguns, os mais crédulos, vacilam na fantasia do meu conto. Outros, os menos crédulos, deixam-me acreditar que acreditaram.

Seja como for, nas cartas ao Pai Natal surgem frases finais como esta: “Pai Natal, deixa os brinquedos à porta da rua "caminha" chaminé é muito fininha e depois não cabes.”


da Leonor

32 Comments:

Anonymous JMC said...

Bonita estoria de Natal, esta que nos conta, referente ao que se aproxima, e no dia a dia de proximidade com os alunos.
Como refere, assim os pequenos vão tomando consciencia, dos dias, dos meses, em que acontecem factos que devem ser comemorados ou festejados, mas o Natal, tanto para miúdos como para os graúdos, tem um sabor especial, aproximação, amor, carinho e especialmente aquela prenda com que sonhamos á meses ou anos e que poderá ser uma realidade nesse dia tão especial, é disto que se constroem os sonhos das nossas crianças, que amanhã seram páis, se forem criados num ambiente que proporcione este espirito, acredito que os descendentes tambem 'acreditaram' e vão manter sempre aceso o espirito de Natal.
Bom fim de semana.
JMC

2:41 PM  
Blogger Isabel-F. said...

Adorei Leonor...
está linda a tua história de Natal...

tem uma linda noite de sábado...

beijokitas

7:34 PM  
Blogger saisminerais said...

Ola Leonor, ja deves de dizer boas coisas de mim! mas voltei cá, vim dar uma olhadela no teu blog, ue ja cresceu imenso desde a ultima visita... gostei deste conto do Pai-Natal, eu acredito nele e todos os anos la tenho de lhe fazer o favor de por a prendinha debaixo do pinheiro para a minha filha.
quero deixar aqui um beijinho e desejar um santo e feliz Natal para ti e todos os que te acompanham na tua vida...
desculpa a ausencia!

7:50 PM  
Blogger almaqueabsorveaslagrimas said...

gostava eu de voltar à altura que acreditava que ele existia.. LOLOL era tudo tao mais facil simples e feliz


bjins kerida leonor ****


PS: pexo desculpas pela falta de pontualidade aki no teu cantinho só agora entrei de férias LOL

8:05 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA JMC

olá jmc, é sempre bom ler o seu comentário que me conforta pelo apoio nele implicito.

também penso que sim, que é preciso alimentar o sonho para podermos aguentar a realidade.

feliz natal para si da leonoreta

8:32 PM  
Anonymous Cris said...

Do coração te vou dizer isto, Leonor, adorava que tivesses sido professora de qualquer uma das minhas filhas! E, adorava ser mosquinha para ver os teus petizes, lá na tua/vossa sala de aula!
Beijo grande.
Vais ter com toda a certeza um Natal cheeeeeeiiiiinho de coisas boas!

8:43 PM  
Blogger AS said...

Querida Leonor. Sei que escreveste este conto pensando nos teus alunos... Talvez por isso em cada palavra sinto a tua espontaneidade e encantamento. És uma mulher maravilhosa!
Um Feliz Natal para ti, cheio de Paz, Amor, Alegria....

Recebe o meu abraço em forma de prenda!

11:15 PM  
Blogger silencebox said...

Adorei ler este texto, prendeu-me do principio ao fim. A forma como tentaste convencer os miudos de que o Pai Natal existe, foi magnifica! É sempre bom acreditar no Pai Natal, eu ainda acredito! ;-)
Um feliz natal com muitas prendas, cheio de Paz e Amor.

11:32 PM  
Blogger Menina_marota said...

Lindíssima a tua história, fazendo-me recordar a "rebeldia" dos meus tempos de Menina, em que dizia que o Pai Natal era o meu Avô, quando o descobri vestido com a roupa de Pai Natal.
Ninguém mais me calou e contei a "novidade" para todos os outros meninos...

Deixo um abraço carinhoso e um FELIZ NATAL para ti e todos que te acompanham
Beijo ;)

11:34 PM  
Blogger António said...

Minha querida Leonor!
Mas um belo texto!
Desta vez sob a forma de uma cena passada numa das tuas aulas.
Foi escrito com alguma ironia mas, sobretudo, com muita ternura.

Obrigado pela visita e pelos votos que lá deixaste expressos (não falo de café, naturalmente...eh eh)

Beijinhos

12:01 AM  
Blogger Anakin said...

Fico sempre na dúvida... mas eu apostaria no Menino.
Beijo

1:04 AM  
Blogger SaltaPocinhas said...

Assim que me conseguir desembaraçar de todos os papéis em que estou soterrada, vou publicar alguns excertos das "cartas ao Pai Natal" dos meus alunos. Depois passa por lá! Tu és muito mazinha, a baralhar os meninos... mas sabes que eu também adoro fazer isso? E depois não me posso esquecer de repor as verdades senão vão para casa desmentir os pais!

4:06 PM  
Blogger Eva Shanti said...

Uma ternura!

Bjs

5:14 PM  
Blogger Mocho Falante said...

Deliciosa....aliás como sempre....

Adorei, a argumentação e do "pelo sim pelo não" deixa-me cá escrever a cartita

beijocas

6:30 PM  
Blogger Aromas Do Mar said...

Como sempre fiquei fascinada com a tua história.

Aproveito para te/vos desejar um Feliz Natal e que o Ano de 2006 seja Mensageiro do que mais desejares.

Beijo grande da Lina/mar Revolto

7:10 PM  
Anonymous Friedrich said...

Realizações, Alegrias, Saúde muito Amor e Paz!

Os meus melhores votos aos amigos e a todos aqueles que me comentaram desejo-vos um Santo e Feliz Natal, e que o Novo Ano 2006 esteja incluído nas vossas vidas tudo isto que vos desejo.

Boas Festas
Beijos e Abraços fraternos

9:31 PM  
Blogger mixtu said...

Bonita estória. Pois é o Pai Natal existe.

12:14 AM  
Anonymous Anonymous said...

Olá Leonoretta,
O fascinio que o Pai Natal exerce sobre os miudos é qualquer coisa que me surpreende e encanta. Aqui a casa, o Pai Natal sempre veio e continua a vir. Os meus filhos acreditaram nele até muito tarde e cada prenda que ele lhes dava correspondia a um "obrigada Pai Natal" com uma expressão que oscilava entre o fascinio e o respeito. Hoje com os meus netos, a tradição repete-se. Acreditam sem qualquer restrição na vinda do Pai Natal. Provavelmente no proximo ano desfazer-se-à a magia. É que vão entrar para a primária!

Eu tambem acredito no Pai Natal. E nos ultimos anos decidi pedir-lhe que em vez de me trazer seja o que fôr, faça o favor de levar lá prá Lapónia tudo aquilo que possa perturbar a minha paz de espírito. E ele tem sido generoso!

BOM NATAL PARA TI, VITINHO, GUI E GIL. Saude muita, alegrias tantas e continuação de muita inspiração.

Beijinhos
Ana Joana

11:14 AM  
Anonymous Colibri said...

O Pai Natal não existe??
Existe pois.... eu quando era pequena e escrevia a carta ao Pai Natal, ele respondia-me sempre e contava-me como estavam as renas....
O meu Pai natal entrava pela janela... eu qeu não tinha chaminé...

11:42 AM  
Blogger Henrique Santos said...

Olá Lianor,
Pois... o meu Natal era diferente. No meu tempo, nem pais natais, nem árvores de natal, esta só mais tarde, era eu já crescido. O meu Natal era à volta dos presentes que o menino Jesus colocava nas nossas meias colocadas ao pé da lareira, e não havendo lareira, no canto da sala prèviamente estabelecido. E, de manhã era um acordar cheio de ansiedade, e uma corrida para o sítio das meias... e, ali estavam as razões do nosso Natal. Com o andar dos tempos e com a desmontagem das tradições, pelo comércio, ou o montar de novas tradições, importadas que se colam pela propaganda desenfreada de muitos milhões de euros... O Ocidente vai perdendo a sua cultura e a globalização (como diz um amigo meu, a "globalização americana...") vai tomando conta de nós. Digo-o com tristeza, porque atrás disso, vão-se os princípios que nos norteavam... e fico por aqui. Mas o teu relato está como sempre, toca-nos bem dentro, dado o seu humanismo maravilhoso...
Um bjinho Ricky

12:09 PM  
Blogger Miguel Pinto said...

Leonor
Entrei para te informar [costumo tutear os colegas... creio que não te importarás] que vou linkar o teu Ex improviso. Cheguei aqui via Escolaridades.

As leituras... reservo-as para mais tarde.

1:06 PM  
Blogger th said...

Eu acredito (ainda) na Amizade e no Amor entre pessoas...
Segue fotocópia:
Eu também estou mais para hibernar do que para postar banalidades e a contar os dias que faltam para Janeiro, depois do dia 1...impossível ter disponibilidade com toda esta pressão. Para quem faz do Natal uma época feliz e alegre, os meus votos de que assim seja.
Agora vou dar uma volta pelos blogs que costumo visitar e vou deixar este mesmo comentário em todos.
BOM NATAL!
th

6:05 PM  
Blogger GNM said...

Lindíssimo!!!
Eu ainda acredito no Pai Natal...
Creio que só vou deixar de acreditar qd nascerem os meus filhos e eu tiver de gastar o 13º mes para lhes comprar as prendas. Mas até lá...

Fica bem e sorri!

8:10 PM  
Blogger A.J.Faria said...

Leonor!
Que tenhas um bom Natal, junto daqueles que te são mais queridos.
Beijinho,

8:58 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA ANA JOANA

agradeço-te os votos de feliz natal.

e retribuo-os, reforçando o meu obrigado pela tua presença dedicada aqui no sitio que eu muito aprecio. tu bem sabes.

beijinhos da leonoreta

9:55 PM  
Blogger pipetobacco said...

{ ... deixo.te: feliz natal, «ouro, incenso e mirra» © luz.de.tecto ... }

11:15 PM  
Blogger a sua vizinha said...

Ó Professora, esse Pai Natal dessas criancinhas tem mas é de emagrecer! Se já se viu não caber na chaminé...

Vocemecê agora está cá pela cidade, espero...

Passe bem estes dias com a sua família.

Tome lá um beijinho e desejo-lhe tudo de bom.

11:30 PM  
Blogger Leonor C.(nokinhas) said...

Leonor

Lá vou eu,a seguir a essa "louca" para te levar um beijinho e dizer-te que tens muito jeito para levar os putos. Eles é que já sabem mais do que nós! Mas éramos tão felizes na nossa inocência, lembras-te?...

Boas Festas e para o novo ano sempre mais e melhor!

Leonor

11:34 PM  
Anonymous Filipe Freitas said...

Os presentes de Natal e a tentativa dos adultos "cultivar" uma tradição para alegrar as nossas crianças...
Gostei desta "habilidade", Leonor !
Um FELIZ NATAL com muita saúde e essa boa disposição de sempre !
Também para todos os Familiares...
Um Abraço.

2:32 AM  
Blogger lena said...

prendeste-me ao teu texto e fez-me lembrar outras vivências,
estou muito ligada a crianças e o imaginário delas surpreende-me muitas vezes,
recordar cada época do ano em que a participação deles é muito importante, onde sinto um sabor especial
é bom saber que ainda mantêm aceso o espírito desta quadra

gosto muito de te ler, és tão real e espontânea no que partilhas, parabéns

deixo-te um beijinho meu Leonor

lena

12:19 PM  
Blogger augustoM said...

Leonor, mas que grande lata tu tens, essa dos doendes não lembrava ao mais pintado.
Um Feliz Natal e a concretização de todos os sonhos em 2006, são os meus votos.
Um beijo. Augusto

3:59 PM  
Anonymous Anonymous said...

Enjoyed a lot! film editing schools

5:03 AM  

Post a Comment

<< Home