Ex Improviso

Mínimo sou, mas quando ao Nada empresto a minha elementar realidade, o Nada é só o Resto. Reinaldo Ferreira

My Photo
Name:
Location: Lisboa, Portugal

Dizem que sou como o sol mas com nuvens como na Cornualha

Sunday, December 04, 2005

Escrevo com palavras

Foto da MP (Foto Aprendiz)


Escrevo com palavras tiradas daquilo que penso e faço
como se fossem a verdade.

Elas nascem-me da alma,
descem-me ao patamar dos sentimentos
e ando atrás delas nos labirintos da memoria.

Fogem! Caem!
Mas logo a seguir agarro-as em fragmentos temporais,
bocados de vida que se passaram naquilo que fui.

Escritas, transformam-se em matéria com que vivi emoções servindo de conforto a quem, que as lendo, vê nelas a sua realidade.


da Leonor

34 Comments:

Blogger António said...

Minha querida Leonor!
Isto é um poema-prosa ou prosa-poema.
Não é o teu estilo habitual mas está com profundidade e é sentido.
Sente-se.
Parabéns pela inovação!

Beijinhos

3:37 PM  
Blogger António said...

Ahh...esqueci-me!
Obrigado pela visita.
Eu nunca começo assim.
Este texto foi escrito para ser assim mesmo.

Beijinhos

3:40 PM  
Blogger Aromas Do Mar said...

Isto é mesmo uma prosa carregada de poesia bem ao jeito da nossa Leonoretta.

Beijokas e bom regresso :)

Lina

4:27 PM  
Blogger José Gomes said...

Leonor,
Não vou comentar, apenas dizes que depois de formatado o disco, cá vou acrescentando os links, os favoritos e os emails.
Tudo bem, se é que se pode dizer que de há uns tempos para cá está alguma coisa bem.
Uma boa semana.
Um abraço.

5:37 PM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha querida Leonor

LIndo - "Escrevo com palavras"

Quando
se desce
ao patamar
dos sentimentos
a respiração
antecede
o movimento dos gestos
fica - livre a "pena"

Um beijo grande

5:48 PM  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Leonor
Escreves com sentimentos que te escorrem pela pena, espalhando-se em palavras, que nos hidratam a alma.
Um beijo
Daniel

6:16 PM  
Anonymous manuela said...

Gostei do poema como se tivesse sido escrito por mim!
Temos a mesma idade.
Parabéns pelo blog.
Xi coração

6:21 PM  
Anonymous Maria do Céu Costa said...

É essa a "mágia" das palavras. Beijinhos.

7:29 PM  
Blogger GNM said...

E que belas palavras as tuas!

Desejo-te um excelente resto de Domingo...

8:39 PM  
Blogger Miguel Sousa said...

escreves e muito bem...bravo para a tua sensibilidade

12:20 AM  
Anonymous colibri said...

Bolas que quando te inspiras fazes das palavras o que bem te apetece!
Enquanto me dirigia para o teu blog estava com intençoes de te depositar uma graçola, mas fiquei sem geito....
Tanto sentimento pôs-me constrangida....

12:45 AM  
Blogger Apenas, o cidadão said...

escrever com palavras como se fosse a verdade. incerteza no que pensa e sente? ou é humildade por sentir que pode ainda não ter chegado lá?

quando descem aos sentimentos... toda a experiencia é vivida novamente? e também analisada? se sim muda a perspectiva à medida que vai evoluindo?

o conforto que refere é por as pessoas reconhecerem experiencias semelhantes e por isso não se sentem sós? ou por serem coisas boas e alegres que confortam a alma?

2:36 AM  
Anonymous Anonymous said...

Querida Leonoreta,
Passei a correr antes de rumar a sul. Agora não vou já responder pq tenho que ir correndo. Mas qdo voltar cá estarei.

Beijinhos
Ana Joana

10:26 AM  
Blogger augustoM said...

Escreves com palavras daquilo que pensas que é verdade.
Porque nasceram da alma, são sentimentos.
Só tens de avivar a memória e juntar os fragmentos, do que foi bom para ti.
Um beijo. Augusto

2:28 PM  
Blogger José Gomes said...

Leonor,
Estive a ler realmenta a algaraviada que postei, nem eu próprio entendo!!!

Só agora acabo de ler este teu post com o cuidadon e a cabeça fria que merece.
São palavras profundas, a tua realidade, aquilo que me habituaste a ver e a sentir desde que descobri este teu "cantinho".

Não sei porquê mas há alguma coisa que me assusta... "Fogem! Caem!(...) bocados de vida que se passaram naquilo que fui"

Escritas, transformam-se em matéria com que vivi emoções servindo de conforto a quem, que as lendo, vê nelas a sua realidade.

Sabes, quando te leio - e este último itálico expressa bem isso - consegues transportar a tua realidade, a tua vivência, o teu sentir, para a minha própria realidade.

Como vão as coisas cá pelo Norte? Mais adaptada ao frio, à chuva, às gentes, à terra?...
Um abraço.

3:25 PM  
Blogger NightWolf said...

Aleluia que consigo ver o teu blog, nao sei o que se passa mas a pagina encravava sempre, ja tinha saudades das tuas historias, dos teus textos, é bom estar de volta, beijinhos e boa semana

5:12 PM  
Blogger JLBM said...

Um texto que gostei de ler e sentir... :)

5:31 PM  
Anonymous batista filho said...

Bela homenagem que prestas às palavras. Valeu, mesmo!
Uma beijoca.

6:29 PM  
Blogger AS said...

Leonor, eu sabia!... tu quando queres surpreendes com textos poéticos como este de inegável talento!...

Beijos

7:10 PM  
Blogger Mocho Falante said...

ó pá mas porque não sou eu a escrever estas coisas????

Beijocas doces

:-D

8:50 PM  
Blogger Vagabundo said...

Ops... agora deixáste-me Bahhh!!!

Gostei de ler essas palavras esculpidas em vidro,gostei mesmo.

Fica bem
Vagabundo

10:34 PM  
Blogger M.P. said...

Muito BONITO o que escreveste, Leonor! :)
È realmente assim.. mas... às vezes é estranho o registo desses bocados de vida.. é como se pertencessem a alguem diferente que não quem os registou. É como se fosse um eu a observar um outro eu em esquizofrénica dualidade de perosnalidades. Contudo.. é um sabor diferente que tem este registo depois de reencontrado. serve de alívio a uma parafernália de sentimentos que vão cá dentro e que precisaram de sair.. :) Obrigada pela publicação da foto. Boa semana! **

11:05 PM  
Blogger Henrique Santos said...

..."Elas nascem-me da alma,
descem-me ao patamar dos sentimentos
e ando atrás delas nos labirintos da memoria."...

Gostei, particularmente, da forma como consegues explicar o fenómeno da produção dum texto, ou duma poesia, que se extravase do sentir... Tive a sensação que já tinha visto isto anteriormente... mentira, foi só agora, só que o fenómeno não me é estranho...
Gostei muito, Lianor, muito!
Bjinho Ricky

11:04 AM  
Anonymous Anonymous said...

Olá, Leonor!
É sempre enriquecedor passar por aqui!
As palavras com que tu escreves, são aquelas com que nos revelas a tua forma de pensar sobre o mundo que te rodeia.
É mais gratificante do que fazer cópias de jornal, ou de um livro qualquer.
Continua assim, e cada vez que escreveres, estarás a transmitir algo de inédito, algo que nuca foi dito.
Um grande beijinho,

11:24 AM  
Anonymous batista filho said...

Ah: parabéns pela imagem da MP... e pela música My Sweet Lord.
Outra beijoca...

ps
quando resolves versejar, hem?! maravilha!!!

11:39 AM  
Blogger Eva Shanti said...

Leonor,

Não acho que escrevas com as palavras, fazes flores!

Bjs

12:34 PM  
Anonymous JMC said...

Então é assim?
Muita coisa dita, com muito conteudo, em poucas palavras, grande capacidade de sintese está neste pequeno texto cheio de sentido.
Parabens.
JMC

1:48 PM  
Anonymous mar said...

Escreves com o teu coração e a tua alma. És tu a escrever,e por isso é um prazer ler o q escreves.
Bejossss

3:02 PM  
Blogger Leonor C.(nokinhas) said...

Sim, escreve-se com palavras ditadas pelos nossos sentimentos e, por vezes, disfarçadas com a nossa imaginação. Não é só o poeta que é um fingidor...

Beijinhos

Andorinha (friorenta)

10:20 PM  
Blogger pipetobacco said...

{ ...

hoje não te.deixo

«aquilo que só se escreve»

deixo.te «aquilo que só se pode cantar»

http://www.epitonic.com/files/reg/songs/mp3/Arco-Driving_At_Night.mp3

... }

11:57 PM  
Anonymous Anonymous said...

Olá Leonoretta,
Os teus ultimos posts têm-me feito sentir que há Outono aí. Nas entrelinhas, onde não existem palavras, deixas dito muito mais do que aquilo que podemos ler com os olhos. Aconteceu no post que a Ana escreveu pela Leonor, e agora muito mais claramente, neste.

Se até a natureza já baralha a estações do ano, porque não te apressas tu a desfrutar do sol na tua alma?

Pede uma primavera e varre as folhas que cairam.

Beijinhos e muito carinho

Ana Joana

9:34 PM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha querida Leonor

Passei.........;)

Bom feriado

Um beijo cheio de amizade

10:55 PM  
Blogger Leonoretta said...

PARA JMC

depois de um comentário tão bonito só me resta dizer muito obrigado pelas suas palavras.


PARA ANA JOANA

não ana joana.
nem sempre ha entrelinhas. o escritor (modestia à parte) nao tem estaçoes de ano definidas, sejam elas cronologias ou psicologicas. é para onde lhe dá.
e neste caso foi para onde me deu.

para quem gosta de escrever a escrita é só um exercicio.


abraço da leonoreta

12:05 PM  
Blogger Poesia Portuguesa said...

"...Escrevo com palavras tiradas daquilo que penso e faço
como se fossem a verdade.
Elas nascem-me da alma,
descem-me ao patamar dos sentimentos
e ando atrás delas nos labirintos da memoria.
Fogem! Caem!"

... como te entendo!

Gostei!


Um abraço carinhoso ;)

12:39 AM  

Post a Comment

<< Home